Skank agita e levanta a plateia em Curitiba

Caderno Gente


Por Francielly Azevedo

Um show para não ficar parado, assim foi a apresentação da banda Skank no último sábado (19), no Teatro Positivo, em Curitiba. Com a turnê inédita comemorativa aos 20 anos do álbum “Samba Poconé”, os músicos fizeram um passeio pela história do grupo com canções amadas pelos fãs.

O álbum “Samba Poconé” foi lançado em 1996 e foi um sucesso de vendas. Porém, para Samuel Rosa, “Garota Nacional”, hit responsável pelo estouro da banda no exterior, roubou a cena na época. “Estamos fazendo justiça, porque o Samba Poconé foi ofuscado pela Garota Nacional”, disse.

O baixista Lelo Zaneti comemorou a vinda até Curitiba. “A casa da banda é Curitiba, fizemos vários shows aqui quando nem eramos conhecidos”, lembrou

O show

A viagem ao túnel do tempo começou com a música “Partida de Futebol” e a pedido de Samuel toda a plateia ficou em pé. Quando o guitarrista e vocalista apresentou “Garota Nacional” o público comemorou. “Agora vamos trazer ela, que hoje já é uma senhora: Garota Nacional”, comentou no palco.

Passando para o século XXI, Skank entoou “Ainda gosto dela” e Samuel mais uma vez chamou a plateia para participar. “Não é missa não gente, pode cantar”, brincou. E a resposta foi um coro com o refrão da música.

“Tão Seu”, “Vamos Fugir”, “Balada do Amor Inabalável”, “Jackie Tequila” e “Te ver” também estavam no repertório.

Confira a entrevista:

[insertmedia id=HkpuBmFMsJw]
Previous ArticleNext Article