Procura por vacina contra HPV é baixa no Paraná

Mariana Ohde


É baixa a adesão da campanha de vacinação contra o vírus do papiloma humano (HPV) no Paraná. O vírus, nas mulheres, é um dos principais causadores do câncer de colo do útero, que é o terceiro mais frequente e a quarta principal causa de morte por câncer entre as mulheres no Brasil. A doença matou 713 mulheres no Paraná apenas em 2016

Para os homens, o objetivo é proteger contra os cânceres de garganta, pênis e ânus.

A imunização está disponível em mais de 2 mil unidades de saúde de todo o estado para meninas de 9 a 14 anos e para meninos de 11 a 14 anos. Para garantir a imunização completa, são necessárias duas doses, com intervalo de seis meses entre as aplicações.

No Paraná, a campanha de vacinação contra o HPV tem, em média, 40% de adesão na primeira dose. Com as duas doses, a vacina tem uma eficácia de 98%, entretanto, o retorno à unidade de saúde para a segunda dose é ainda menor, apenas 20% das pessoas.

De acordo com o chefe do centro estadual de epidemiologia, João Luís Crivellaro, muita gente ainda não conhece a importância da vacina. “É importante que pais e responsáveis orientem os filhos para que busquem a vacinação. Essa vacinação, para as meninas, nós ainda estamos com uma cobertura inferior à que a gente gostaria de estar. Nós temos uma média de 40% de cobertura vacinal. E, nos meninos, em torno de 20%”, explica.

Pacientes com HIV/Aids, oncológicos e transplantados de 9 a 26 anos também devem se vacinar. Para esse público são indicadas três doses da vacina contra o HPV.

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="461027" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]