Após queda no número de casos, deputados aprovam projeto que protege caixas eletrônicos de explosões

Mariana Ohde


Por Metro Curitiba

Os deputados estaduais aprovaram ontem um projeto de lei que obriga os estabelecimentos bancários a instalarem, em seus caixas eletrônicos, dispositivos antifurto como os que mancham as cédulas em casos de explosão. A matéria recebeu 39 votos favoráveis e nenhum contrário.

A proposta de Luiz Cláudio Romanelli (PSD) tramita desde 2015 – época em que estavam em alta as explosões de caixas eletrônicos no Estado. De 2016 para 2017, no entanto, os crimes já caíram quase pela metade no Estado, segundo os dados do Sindivigilantes (Sindicato dos Vigilantes de Curitiba).

Em 2016 foram 110 ocorrências e 53 no ano passado. Por outro lado no mesmo período os ataques a carros-fortes emergiram: de apenas 2 ocorrências em 2016, foram registradas 11 no ano passado.

O projeto aplica multa inicial de 50 salários mínimos em caso de descumprimento, passando depois para 100 salários. Para entrar em vigor o texto ainda precisa ser votado em segundo turno e, por fim, ser sancionado pelo governador.

Substitutivo

O projeto inicial de Romanelli era para que os bancos fossem obrigados a instalar dispositivos que manchassem com tinta automaticamente as notas em caso de tentativas de roubos. Durante as discussões, no entanto, os deputados ponderaram que este texto poderia ficar ultrapassado caso fossem criadas novos métodos de segurança.

Assim foi proposto um substitutivo mais geral – exigindo apenas que sejam instalados dispositivos que tornem as cédulas ‘sem condição de circulação’.

O texto aprovado segue as resoluções do Banco Central sobre o funcionamento dos caixas eletrônicos no Brasil

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="485103" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]