Joesley e Wesley Batista são indiciados por manipular mercado financeiro

Fernando Garcel


Os irmãos Joesley e Wesley Batista, proprietários do grupo J&F, foram indiciados pela Polícia Federal (PF) por utilizar informações privilegiadas para realizar operações no mercado financeiro visando lucro. Ambos estão presos na superintendência da PF em São Paulo.

Joesley diz a juiz que está preso porque “mexeu com poderosos”
Acionistas da JBS foram vítimas dos irmãos Wesley e Joesley Batista, diz PF

De acordo com o indiciamento, a JBS, uma das empresas do grupo, fez operações no mercado de câmbio dias antes do vazamento relacionado ao acordo de delação premiada firmado entre os irmãos e a Procuradoria-Geral da República (PGR). No dia seguinte, a bolsa de valores terminou o dia na maior queda em 9 anos e o dólar disparou 8%. A oscilação no mercado fez com que a empresa dos irmãos Batista evitasse uma perda de R$ 138 milhões em ações, além de obter lucro de 100 milhões de dólares, de acordo com o Ministério Público Federal (MPF).

Joesley Batista foi indiciado por prática contínua de manipulação de mercado e uso indevido de informação privilegiada. Wesley Batista foi indiciado por uso indevido de informação privilegiada e abuso de poder.

“Sabendo do potencial desta delação no mercado de valores mobiliários brasileiro, utilizaram esta informação privilegiada, ainda sigilosa, determinando a realização de operações de compra/venda no mercado de valores mobiliários”, diz o indiciamento assinado pelo delegado Edson Fabio Garutti Moreira. “O crime de uso indevido de informação privilegiada não exige a ocorrência de vantagem, mas apenas que a informação seja capaz de gerar vantagem indevida, razão pela qual não há relevância se as operações foram realizadas com finalidade especulativa ou protetiva (“hedge”) – nos dois casos haveria uma vantagem em se utilizar a informação privilegiada, destaca o delegado.

“A venda de ações da empresa JBS por parte da empresa controladora (FB Participações) no mesmo período em que a própria empresa JBS foi a mercado recomprar suas ações (dentro do programa de recompra divulgado), representa uma combinação de interesses que caracteriza manipulação de mercado. […] Neste período havia intenso contato entre os irmãos Batista, notadamente com relação ao procedimento de colaboração premiada, o que revela que a extrema coincidência no período das operações foi uma combinação, um ajuste”, afirma Moreira.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="455946" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]