Academias abrem vagas gratuitas para pacientes com câncer de mama

Francielly Azevedo


A luta de Maria Aparecida Rodrigues dos Santos, de 54 anos, contra o câncer de mama durou mais de um ano. Após a cura, veio a recomendação médica de manter uma rotina de exercícios diários para evitar o retorno da doença. Mas, a assistente social aposentada não tinha condições de pagar a mensalidade de uma academia. Foi quando ela conheceu um projeto desenvolvido pelo Centro de Doenças da Mama, em parceria com academias, que oportuniza vagas gratuitas para pacientes que travam a batalha contra o câncer de mama.

“Foi muito difícil receber um diagnóstico de câncer e ainda dizer pra mim que era invasivo e que eu teria que entrar logo com quimioterapia, a gente já pensa que está morrendo. Os médicos sempre falando: tem que fazer exercício físico. Mas eu sou aposentada, então é muito difícil eu pagar o valor, que muitas vezes é alto”, conta Maria.

Em Curitiba, uma rede com 19 academias aderiu ao projeto. Ao todo, são 50 vagas gratuitas para pacientes que tratam a doença ou que estão no período de recidiva, quando já encerraram o tratamento, porém o câncer ainda pode voltar. Maria é uma dessas alunas, ela começou a treinar nesta segunda-feira (12).

“Uma vez que você fez a retirada dos linfonodos da axila, esse braço precisa de mais cuidado, é preciso acompanhamento, porque não é qualquer peso que se pode erguer com esse braço, qualquer exercício que se pode fazer”, afirma Maria.

PESQUISA

De acordo com uma pesquisa apresentada no Congresso de Oncologia Clínica, Asco 2019, as mudanças de hábitos alimentares simples – como cortar 20% das calorias diárias – são capazes de resultar em redução de mortalidade por câncer de mama em 21%. Além disso, a prática de 30 minutos de exercícios físicos diários, cinco vezes por semana, é capaz de afastar os riscos de recidiva de câncer em 60%.

“O câncer de mama tem uma clara associação com o ganho de peso, com obesidade e principalmente com uma dieta rica em gordura. Se mudar os hábitos de vida, essa mulheres vão ter uma melhora com redução do risco de recorrência para aquelas que já tiveram câncer e redução do risco de desenvolvimento do câncer de mama”, explica o médico Cleverton Cesar Spautz, do Centro de Doenças da Mama.

Com isso, surgiu a ideia de buscar academias parceiras que pudessem ajudar mulheres que não têm condições financeiras. Os idealizadores do projeto acreditam que a iniciativa poderá atrair outras outras redes de academias e, quem sabe, ultrapasse os limites de Curitiba. “A ideia é fazer com que qualquer pessoa que fez o tratamento do câncer de mama tenha acesso a essas aulas”, disse o médico.

As academias interessadas em aderir ao projeto podem procurar o Centro de Doenças da Mama pelo telefone (41) 3335-3300. Mesmo telefone em que as pacientes podem entrar em contato para mais informações.

Previous ArticleNext Article
Avatar
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.