Alerta da Anvisa não deve alterar vacinação contra dengue no PR

Andreza Rossini


Da BandNews Curitiba

A vacinação contra a dengue no Paraná não deve ser alterada após o alerta emitido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Segundo a Anvisa, caso alguém que nunca tenha sido infectado seja vacinado, existe o risco de que a pessoa, ao ser picada pelo mosquito com o vírus, contraia uma dengue ainda mais grave. Ou seja, a vacina não é recomendada para quem nunca teve contato com a doença.

A Anvisa alerta que isso ainda precisa ser confirmado, mas, como medida de prevenção, a bula do produto deverá ser alterada, informando o aumento dos riscos. No ano passado, o governo do Paraná adquiriu um lote de, aproximadamente, R$ 50 milhões em vacinas.

Segundo a superintendente de Vigilância em Saúde, Júlia Cordelini, o alerta não muda o programa de vacinação. “Isso não vai acontecer necessariamente . São estimativas em estudo. Aqui no Paraná nós estamos monitorando os pacientes, vacinamos mais de 300 mil pessoas. No momento da aquisição nós agimos de acordo com os critérios da Organização Mundial da Saúde, de todas as pesquisas na área e na própria liberação da Anvisa, que tinha liberado a vacina para o Brasil”, afirmou.

A superintendente afirma que, no Paraná, nenhuma pessoa apresentou quadro de dengue severa após a vacinação. “Nós temos o monitoramento de todas essas pessoas. Foi desenvolvido um cadastro estadual com os dados e entre todas elas, 40 tiveram dengue clínica, não comprovadas laboratorialmente, e todas consideradas leves”, disse.

Ainda segundo a Secretaria Estadual de Saúde, nenhuma vacina será descartada após o alerta da Anvisa. Há mais de um ano o Paraná não registra nenhuma morte por dengue.

O balanço começou em agosto de 2016. No período anterior, de 2015 a 2016, foram 63 óbitos registrados em decorrência da doença.

 

Previous ArticleNext Article