Analista da BRF que alterava fórmulas das rações é solta pela Justiça

Andreza Rossini


Repórter William Bittar da CBN Curitiba

O juiz federal André Wasilewski Duszczak, da 1ª Vara Federal de Ponta Grossa, emitiu na noite desta quarta-feira (7) um alvará de soltura para a médica veterinária Natacha Camilotti Mascarello, uma das investigadas na Operação Trapaça, a terceira fase da Operação Carne Fraca, deflagrada pela Polícia Federal.

De acordo com as investigações, Natacha era a responsável por fazer alterações nas fórmulas das rações que eram fabricadas e nos rótulos de fabricação para evitar qualquer fiscalização do Ministério da Agricultura.

Como Natacha ainda faz parte do quadro de funcionários da fábrica de rações da BRF, em Chapecó, no estado de Santa Catarina, ficou determinado que a investigada não poderá acessar ou frequentar quaisquer fábricas da BRF e estabelecimentos operacionais ligados a esse grupo empresarial.

Além disso, ela também está suspensa de exercer atividade de natureza econômica ou financeira, ou seja, médica-veterinária ou “analista/controle de qualidade” junto da BRF ou de qualquer estabelecimento ligado a esse grupo empresarial.

Na decisão, o Ministério Público Federal argumentou que a simples soltura acompanhada do retorno de Natacha às suas atividades habituais coloca em risco a ordem pública e econômica e pode atrapalhar nas investigações de novas provas que possam surgir, por este motivo, caso a investigada descumpra qualquer uma das medidas impostas será decretada a prisão preventiva dela.

Previous ArticleNext Article