Apesar de armadilha montada, Ibama não consegue capturar bugio que atacou criança

Francielly Azevedo - CBN Curitiba


Após duas semanas, o macaco bugio que atacou uma criança de dois anos dentro de um apartamento em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, ainda não foi capturado. O animal vem sendo monitorado pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais (Ibama). Técnicos do órgão instalaram uma armadilha e se revezam para capturar o bicho.

O problema é que, segundo superintendente do Ibama no Paraná, Julio Gonchorosky, o animal tem burlado a arapuca. Ele entra rapidamente na grade, pega o alimento e foge.

“Já estamos há uma semana junto com a Secretaria do Meio Ambiente buscando atrair o animal para a armadilha. Ele chegou a entrar e sair da armadilha algumas vezes”, disse.

O superintendente pede colaboração da população e dos moradores do local para que não alimentem o macaco. “Algumas pessoas dentro do próprio condomínio estão alimentando o animal. Já conversamos com os representantes do condomínio para que tenha uma conscientização de que não pode alimentar animal silvestre”, explicou.

Enquanto isso, os profissionais do Ibama, em conjunto com o Instituto Ambiental do Paraná e técnicos da Secretária do Meio Ambiente de Araucária buscam estratégias para atrair o animal, que é considerado perigoso.

A menina ferida pelo macaco há duas semanas assistia televisão na sala quando o animal invadiu o apartamento e mordeu a cabeça da bebê. Ela passou por cirurgia para reconstruir o couro cabeludo.

Previous ArticleNext Article