Após prisão, hit do Japonês da Federal tem nova versão

Andreza Rossini


Após a prisão do agente da Polícia Federal Newton Ishii, na manhã desta quarta-feira (8), em Curitiba, o “Japonês da Federal”, como ficou conhecido após cumprir consecutivos mandados de prisão na Operação Lava Jato, ganhou um novo hit. “Ai meu Deus, se deu mal, foi preso em Curitiba o Japonês da Federal”, ouça:

Ishii foi condenado por facilitação de contrabando a quatro anos e dois meses de prisão no processo da Operação Sucuri, deflagrada em 2003. Ele ficou quatro meses preso, mas recorreu e respondeu em liberdade. O agente chegou a ser afastado dos serviços pela própria Polícia Federal, sem prejuízo em seus vencimentos, mas o Tribunal de Contas da União determinou seu retorno ao trabalho.

Composição: Thiago SP, Daniel Batistoni, Jabolinha e Tigrão. Vídeo: Douglas Santucci

Antes de vir a publico a informação de que o agente é investigado por facilitar o contrabando na fronteira de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, com o Paraguai, o Japonês virou boneco de Olinda no carnaval, foi homenageado com máscaras e com outro hit musical. A primeira versão, dos mesmos produtores citados dizia: “Ai meu Deus, me dei mal, bateu na minha porta o Japonês da Federal”. Veja aqui.

noticia_377210_img1_bpjapones1

Ishii chefiava um grupo de 15 agentes que cumprem mandados de prisão e faz o transporte de presos para audiências e para o Instituto Médico Legal (IML). O policial de 60 anos ficou aposentado por 10 anos e meio, mas a aposentadoria foi revogada em 2013 e ele voltou para as atividades da PF.

A primeira aparição do agente nas capas dos principais jornais aconteceu em maio de 2015, quando ele estava ao lado de Nestor Cerveró, em seguida apareceu nas prisões do pecuarista José Carlos Bumlai, com o ex-deputado Pedro Corrêa, Marcelo Odebrecht e José Dirceu.

Previous ArticleNext Article