Assinado o contrato para nova ponte entre Brasil e Paraguai

Foi assinado nesta segunda-feira (13) em Carmelo Peralta, no Alto Paraguai, o contrato para o início da construção da Po..

Redação - 13 de dezembro de 2021, 13:57

Foto: Presidência do Paraguai
Foto: Presidência do Paraguai

Foi assinado nesta segunda-feira (13) em Carmelo Peralta, no Alto Paraguai, o contrato para o início da construção da Ponte Bioceânica, que ligará o município do Chaco a Puerto Murtinho, no Brasil. A obra da nova ligação entre Brasil e Paraguai será financiada pela Itaipu Binacional. A notícia foi veiculada pela Agência paraguaia IP.

O evento foi liderado pelo Presidente da República, Mario Abdo Benítez, em conjunto com altas autoridades paraguaias e brasileiras. O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, iria comparecer ao evento, mas as chuvas na região impediram seu avião de pousar.

O contrato tem o valor de 102,6 milhões de dólares e foi assinado pelo Consórcio Binacional PY-BRA, formado pela Tecnoedil Constructora SA, Cidade LTDA e Paulitec Construções, que ficará responsável pelas obras.

O governador do departamento do Alto Paraguai, José Domingo Adorno, qualificou o dia como histórico, pois as obras projetadas devem ajudar no desenvolvimento da região.

O ministro das Obras Públicas do Paraguai, Arnoldo Wiens, destacou o impacto positivo da obra, que terá a duração de 36 meses.

“Hoje iniciamos a primeira ponte entre o Paraguai e o Brasil sobre o rio Paraguai. A obra está para começar, não há tempo para esperar, porque queremos gerar mais riqueza e prosperidade para os moradores ”, disse.

A obra da Ponte Bioceânica

A Ponte da Bioceânica busca a integração regional e a formação do corredor que unirá o Oceano Atlântico e o Oceano Pacífico. O prazo de execução da obra é de 36 meses, com conclusão prevista para 2024.

A nova ligação rodoviária bioceânica vai intensificar as relações comerciais e sociais entre os países que atravessa: Brasil, Paraguai, Argentina e Chile, aproximando também esta nova rota ao sul da Bolívia.

Entrando no âmbito regional, a Rota Bioceânica ligará as áreas de São Paulo (Br), Mato Grosso do Sul (Br), Alto Paraguai (Py), Boquerón (Py), Salta (Arg), Jujuy (Arg) e Antofagasta ( Cl).

A expectativa do governo paraguaio é de que a ponte gere também um novo pólo de desenvolvimento no Alto Paraguai. A cidade de Carmelo Peralta deve se tornar uma área de relevância regional graças aos serviços de logística, favorecendo o desenvolvimento integral da região do Chaco.

A nova conexão internacional entre o Paraguai e o Brasil foi projetada para atender às necessidades de tráfego pesado rodoviário e fluvial. Sua extensão total será de 1.294 metros (trecho estaiado mais os viadutos de acesso) e sua largura de 20,10 metros.

A parte estaiada, centrada no leito do rio Paraguai, terá 625,37 metros de extensão, com vão central de 350 metros que permite que as fundações das torres estaiadas fiquem fora do leito normal do rio.