Atirador nos EUA mata 4 e fere 3 antes de ser morto pela polícia

Um homem armado matou quatro pessoas e feriu outras três, incluindo um policial, no estado americano do Colorado, nesta ..

Folhapress - 28 de dezembro de 2021, 12:04

Reprodução Twitter
Reprodução Twitter

Um homem armado matou quatro pessoas e feriu outras três, incluindo um policial, no estado americano do Colorado, nesta segunda-feira (27). Ele foi morto pela polícia.

Ainda não se sabe o motivo do ataque, que começou na tarde da segunda-feira, com o agressor abrindo fogo no centro da cidade de Denver, onde matou duas mulheres e feriu um homem.

Ele então fugiu em um carro e matou outro homem perto de um parque. Em seguida, atacou outro bairro, onde ninguém foi atingido.

De acordo com a polícia, agentes perseguiram o homem, e houve trocas de tiros.

Ele então chegou à cidade vizinha de Lakewood, onde matou uma quarta pessoa dentro de um comércio.

Houve mais trocas de tiros entre a polícia e o agressor, que foi morto ao entrar em um hotel, segundo o porta-voz da polícia local, John Romero. Um policial ficou ferido e está passando por uma cirurgia.

As autoridades não identificaram publicamente o homem e disseram que as circunstâncias que levaram ao ataque estão sendo investigadas.

Anne Wilson, uma mulher que estava dentro de uma loja em Lakewood ao lado do local atacado, contou à emissora NBC que ouviu sete ou oito tiros, e em seguida outra rajada de cinco tiros. Ela e outros clientes foram levados a um quarto dos fundos pelos atendentes, onde ficaram até o perigo passar.

No dia 19 de junho deste ano, o Colorado se tornou o primeiro estado americano a revogar uma lei que proíbe cidades de criarem suas próprias regulações de armas de fogo. Até hoje, 44 dos 50 estados americanos possuem leis deste tipo.

De janeiro a julho deste ano, a violência armada –incluindo homicídio, assassinato, disparos acidentais, uso de arma em legítima defesa, suicídios, e tiroteios em massa– no país matou 173 crianças de até 11 anos e 677 adolescentes entre 12 e 17 anos, de acordo com dados da organização Gun Violence Archive (arquivo da violência armada, em português).