Biometria alcança 55% do eleitorado do Paraná

Narley Resende

Eleições, votação

As eleições municipais deste ano terão 65 cidades com urnas biométricas no Paraná, com o equivalente a 55% do eleitorado. A meta do Tribunal Regional Eleitoral é cadastral 100% dos eleitores até 2017. Até agora, das 7 milhões e meio de pessoas aptas a votar, 4 milhões já são cadastradas.

Na eleição nacional, em 2018, o TRE do Paraná pretende realizar a primeira votação com sistema 100% em urnas eletrônicas, com biometria, e mais o sistema impresso – modalidade que deve custar 1 bilhão e 800 mil reais em todo país.

O voto impresso foi aprovado no fim do ano passado no Senado Federal. O secretário de Tecnologia e Informação do TRE, Carlos Alcídio Emmel, afirma que imprimir o voto é desnecessário, uma vez que o sistema das urnas eletrônicas se mostra impossível de ser violado.

Para que fosse possível fraudar as urnas seria necessária a conivência de 20 mil pessoas que acompanham o processo do começo ao fim.

As urnas são desconectadas da internet. O único momento em que passam por uma linha exclusiva, os dados são criptografados, enviados separadamente, em milissegundos.

A chave para decodificar é fracionada e dividida entre representantes do Ministério Público, OAB, fiscais de partidos e Tribunal Eleitoral. Com a biometria, há mais uma barreira.

Dos 399 municípios do Paraná, 65 já têm biometria. A maior parte do eleitorado do Estado está concentrada nessas cidades. Segundo o TRE, só não foi possível cadastrar todos os eleitores para este ano por causa das medidas de contenção de gastos e cortes no orçamento.

Hoje, em todo o Paraná, o resultado das eleições pode ser divulgado em uma hora. Mesmo com problemas pontuais em alguns municípios, é possível apurar nesse tempo o número de votos necessário para legitimar o vencedor.

Em Curitiba, nas eleições de 2012, o resultado era irreversível 18 minutos após o fechamento das urnas. Naquele ano, o prefeito Gustavo Fruet, do PDT, ampliou uma vantagem de 20% sobre o segundo colocado, Ratinho Junior, do PSC, hoje no PSD.

Para apurar todos os votos, o TRE afirma que leva no máximo 45 minutos em Curitiba. O Paraná terá 23 mil e quinhentas urnas, que geram o mesmo número de boletins.

Na eleição de 2016, a urna eletrônica completa 20 anos de utilização, sem nunca ter sido provado um caso de fraude.

O Paraná permanece como o sexto maior colégio eleitoral do país. Curitiba tem 1 milhão 285 mil eleitores. Todo o processo eleitoral no Paraná vai custar 19 milhões de reais neste ano.

Links para mais informações sobre segurança eleitoral:

http://www.tse.jus.br/eleicoes/biometria-e-urna-eletronica/eleicoes

http://www.tse.jus.br/eleicoes/biometria-e-urna-eletronica/urna-eletronica

http://www.tse.jus.br/eleicoes/biometria-e-urna-eletronica/seguranca

http://www.justicaeleitoral.jus.br/arquivos/tse-perguntas-mais-frequentessistema-eletronico-de-votacao

http://www.tre-pr.jus.br/eleicoes/biometria-e-urna-eletronica/biometria-e-urnaeletronica-1

Previous ArticleNext Article