Bolsonaro diz que deve editar MP para destinar R$ 200 milhões para a Bahia

O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse nesta segunda-feira (27) que o governo federal deve editar no ano que vem uma MP ..

UOL/Folhapress - 28 de dezembro de 2021, 09:06

Foto: governo da Bahia
Foto: governo da Bahia

O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse nesta segunda-feira (27) que o governo federal deve editar no ano que vem uma MP (medida provisória) que abre crédito extraordinário de R$ 200 milhões para ajudar no enfrentamento dos estragos causados pelas fortes chuvas na Bahia.

"Devemos agora, no início do ano que vem, assinar uma medida provisória com crédito suplementar de R$ 200 milhões para atender o pessoal. Vamos fazer tudo o que for possível por nossos irmãos na Bahia", disse o mandatário, após chegar em São Francisco do Sul (SC), onde passará o Ano Novo. Ele não detalhou de que maneira os recursos serão utilizados.

Os temporais que atingiram o estado causaram a morte de 20 pessoas, deixaram ao menos 358 feridos e já afetaram mais de 470 mil pessoas, segundo balanço da Defesa Civil divulgado ontem. Já são 116 municípios afetados -100 deles decretaram situação de emergência.

Em declaração a jornalistas, Bolsonaro disse que os ministros da Cidadania, João Roma, e do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, estão acompanhando a situação.

Ele lembrou que temporais já haviam atingido o estado há algumas semanas e disse que uma das medidas tomadas pelo governo foi a liberação do saque do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) para moradores de áreas atingidas por enchentes.

"Isso começou no final de novembro, se agravou antes do Natal e agora depois do Natal deu uma nova agravada. Várias instituições nossas lá, vários ministérios trabalhando. é minimizar o sofrimento. A Caixa Econômica já vem liberando o Fundo de Garantia do pessoal.

Marinho, Roma e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, devem sobrevoar hoje as regiões mais afetadas. Na sequência, eles irão conceder entrevista coletiva apresentando as ações realizadas pelo governo federal em apoio ao estado e municípios atingidos.

O líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR) disse ao UOL que o presidente avaliar, com seus ministros, se precisa voltar à Bahia. Bolsonaro sobrevoou o estado no dia 12 de dezembro, quando houve a primeira fase de fortes chuvas e alagamentos.

O chefe do Executivo federal está em férias. Ele passará o Réveillon no Sul do país ao lado da primeira-dama, Michelle Bolsonaro, e da filha Laura, 11.

"Aqui é coisa rara. Minha esposa está comigo, minha filha também. Coisa rara porque elas têm as atividades delas e é difícil a gente tirar uma folga como estou tirando agora", disse ele ao ser questionado sobre a agenda para os próximos dias.