Brasil bate recorde diário em mortes e casos confirmados de coronavírus

Jorge de Sousa

Brasil bate recorde diário em mortes e casos confirmados de coronavírus

Os casos confirmados e mortes pelo novo coronavírus (Covid 19) bateram recorde diário segundo boletim divulgado pelo Ministério da Saúde nesta quarta-feira (8).

Nas últimas 24 horas os casos confirmados no Brasil subiram 20% (2.210 novos casos) e chegaram a 15.927 ocorrências, enquanto que os óbitos registraram alta de 16% (133 novos óbitos) e alcançaram a marca de 800 mortes.

Até o momento apenas o estado do Tocantins não registrou nenhum óbito pela doença. Já São Paulo (428) e Rio de Janeiro (106) são as únicas unidades federativas a confirmaram ao menos uma centena de mortes.

O Ministério da Saúde também confirmou que os estados do Amazonas, Distrito Federal, São Paulo, Amapá e Rio de Janeiro estão acima da taxa da contaminação pela doença para cada 100 mil habitantes.

Amazonas apresenta o índice mais preocupante com 19,1% nesse índice, enquanto a média nacional fica em 7,5%. O Paraná apresenta até o momento 4,7% nesse coeficiente.

CORONAVÍRUS: DADOS DA COVID-19 POR ESTADO

  1. São Paulo: 6.708 casos e 428 óbitos
  2. Rio de Janeiro: 1938 casos e 106 óbitos
  3. Ceará: 1291 casos e 43 óbitos
  4. Amazonas: 804 casos e 30 óbitos
  5. Distrito Federal: 509 casos e 12 óbitos
  6. Minas Gerais: 614 casos e 14 óbitos
  7. Rio Grande do Sul: 555 casos e 17 óbitos
  8. Paraná: 539 casos e 9 óbitos
  9. Bahia: 497 casos e 15 óbitos
  10. Santa Catarina: 457 casos e 15 óbitos
  11. Pernambuco: 401 casos e 46 óbitos
  12. Rio Grande do Norte: 261 casos e 11 óbitos
  13. Maranhão: 230 casos e 11 óbitos
  14. Espírito Santo: 227 casos e seis óbitos
  15. Pará: 167 casos e seis óbitos
  16. Goiás: 158 casos e sete óbitos
  17. Amapá: 107 casos e dois óbitos
  18. Mato Grosso: 90 casos e um óbito
  19. Mato Grosso do Sul: 85 casos e dois óbitos
  20. Acre: 54 casos e dois óbitos
  21. Roraima: 49 casos e um óbito
  22. Paraíba: 41 casos e um óbito
  23. Alagoas: 37 casos e dois óbitos
  24. Sergipe: 36 casos e um quatro óbitos
  25. Piauí: 31 casos e cinco óbitos
  26. Tocantins: 23 casos
  27. Rondônia: 18 casos e um óbito

MANDETTA ALERTA RISCOS DA HIDROXICLOQUINA 

Durante o pronunciamento interministerial, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, reforçou que a hidroxicloroquina pode ser utilizada pelos médicos em casos graves e críticos, mas defendeu que não seja utilizada em massa.

“Temos cerca de 85% de pessoas fora do grupo de risco. Esse medicamento tem efeitos colaterais graves. Vale a pena arriscar gerar nessas pessoas problemas como arritmia cardíaca, sendo que eles podem não apresentar sintomas do coronavírus?”, questionou Mandetta.

O ministro ainda reforçou que está alinhado com o presidente da República, Jair Bolsonaro, e afirmou que ele é a autoridade central dentro do país. “Tivemos nossas dificuldades internas, que foram públicas, mas estamos todos cientes de nosso papel”, finalizou Mandetta.

Por último, Mandetta confirmou que a empresa Magnamed fechou o primeiro contrato para produção de respiradores para a utilização em hospitais públicos de todo Brasil. O ministro também afirmou que devido a problemas na negociação, o Brasil cancelou a compra de 15 mil respiradores junto a China.

“Materializamos uma ação que se iniciou há 45 dias, que é fazer a indústria nacional disparar uma produção em tempo reduzido. A previsão é que 6.000 respiradores sejam entregues em um prazo de 90 dias pela empresa”, finalizou Mandetta.

Previous ArticleNext Article