Brasil tem segunda maior incidência de hanseníase no mundo

Redação


Da BandNews Curitiba

O Brasil é atualmente o segundo país no mundo em incidência de hanseníase, e para chamar a atenção da população para os sintomas e tratamentos da doença, o último domingo do mês de janeiro é considerado o “Dia Mundial de Luta contra a Hanseníase”. No Paraná, em 2016 foram registrados 671 novos casos da doença, média de 0.6 casos para cada 10 mil habitantes, o que significa que o Estado tem o controle da Hanseníase, acordo com os parâmetros da Organização Mundial da Saúde.

A transmissão da doença ocorre por via respiratória, e não pelo contato, como muitas pessoas pensam, e a bactéria pode levar anos para se manifestar. Os primeiros sintomas são manchas na pele com perda de sensibilidade, e quanto antes for iniciado o tratamento, mais chances de obter bons resultados.

O tratamento para a hanseníase é disponibilizado de forma gratuita na rede pública de saúde. O diagnóstico é feito por meio da avaliação da pele e sensibilidade como explica o Chefe do Centro Estadual de Epidemiologia, Renato Lopes.

“A partir do diagnóstico que é feito em cima de pele e de sensibilidade nervosa, o tratamento é imediatamente inciado com medicamentos orais, como o antibiótico específico para o tratamento de hanseníase”, disse.

Se não tratada corretamente, a doença pode evoluir, e levar a incapacidade de movimentos, perda de força nos membros afetados, infecções e até amputações. A meta do Ministério da Saúde, em relação à cura de novos casos de hanseníase, é de 90%. No Paraná o índice de cura é de 93%.  Para Renato Lopes, os bons resultados se devem as ações que incentivam as pessoas a procurar ajuda o mais rápido possível.

Todas as unidades de saúde estão preparadas para receber pacientes e dar os encaminhamentos necessários para o tratamento.

Previous ArticleNext Article