Cavendish negocia delação que cita PMDB e PSDB

Redação


Preso em junho pela Polícia Federal sob a acusação de lavar – com a ajuda do bicheiro Carlinhos Cachoeira – R$ 370 milhões desviados de contratos de obras públicas, o presidente da Delta Engenharia, Fernando Cavendish, negocia um acordo de delação premiada que pode implicar nomes de destaque do PSDB e do PMDB, segundo informações publicadas pela revista “Época” e pelo jornal “O Estado de S. Paulo”.

Em reportagem publicada ontem, mas não confirmada pela defesa de Cavendish ou da PGR (Procuradoria-Geral da República), o “Estadão” informa que o empreiteiro prometeu contar aos investigadores que teria pago propina a políticos como o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP); o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (PMDB); e o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), entre outros.

Os pagamentos a Aloysio Nunes, por exemplo, teriam relação a um aditivo de R$ 71 milhões em uma obra que a Delta fez na Marginal Tietê, em São Paulo, entre 2009 e 2011, quando o Estado era governado pelo atual ministro das Relações Exteriores, José Serra (PSDB).

Em nota, Nunes chamou de “mentira” a suposta acusação. Cabral entendeu que não há “nada a comentar” e Perillo, também por nota, afirmou que as informações “não têm procedência”.

Com Metro Jornal Curitiba

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="392511" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]