Novo vídeo confirma estupro coletivo no Rio

Redação


Ela implorou para que parassem. O apelo da jovem de 16 anos estuprada no Morro da Barão, na Praça Seca, estava registrado no celular de Raí de Souza, jovem de 22 anos que gravou a violência ocorrida nos últimos dias 21 e 22. Estuprada duas vezes, na segunda, ela ainda foi humilhada por um dos criminosos com xingamentos, como revelou na noite deste domingo o programa “Fantástico”.

X. foi estuprada às 7h de sábado, após sair de baile funk, e no domingo, às 19h. Foram 36 horas que ela passou na mão de criminosos. Além do vídeo que já havia sido publicado, uma outra gravação feita, juntamente com outros dois traficantes, mostra as cenas e os algozes introduzindo, inclusive, objetos nas partes íntimas da menina desacordada.

Nesta segunda-feira, segundo a delegada Cristiana Bento, da Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (Dcav), será divulgado o laudo completo do celular de Raí. O aparelho, que o rapaz dizia ter jogado fora, estava guardado na casa de um amigo, em Madureira.

Leia a matéria completa

Previous ArticleNext Article