Censo Demográfico 2021: IBGE abre inscrições para 180 mil vagas de recenseador

Agência Brasil

ibge, vagas temporárias, censo 2020, cebraspe, como se inscrever, inscrições, agente, empregos, cidades, brasil, concurso, concurso ibge, concurso ibge inscrições, inscrições, censo, censo 2021, censo demográfico, censo demográfico 2021

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) abre nesta terça-feira (23) inscrições para 181.898 vagas para recenseador do Censo Demográfico 2021.

VAGAS ABERTAS NO IBGE

Os empregos são temporários, inicialmente por três meses, e têm remuneração atrelada à produtividade, ou seja, ao número de domicílios visitados e de pessoas recenseadas.

O trabalho do recenseador envolve a visita a domicílios e a aplicação do questionário do Censo aos moradores desses locais e exige o ensino fundamental completo.

As vagas são para 5.300 municípios e o local de trabalho deverá ser escolhido no momento da inscrição, que deve ser feita até 19 de março pela internet. O valor da taxa de inscrição é de R$ 25,77.

A seleção será feita através de prova a ser realizada no dia 25 de abril. No site do Censo Demográfico é possível obter informações sobre o processo seletivo e também será possível simular o salário de recenseador.

AGENTE CENSITÁRIO

Também estão abertas inscrições, até 15 de março, para os processos de seleção de agentes censitários supervisor (16.959 vagas) e municipal (5.450). Os agentes supervisionam o trabalho dos recenseadores e devem ter o ensino médio completo.

Os agentes censitários municipais terão a remuneração de R$ 2.100. Já os supervisores ganharão R$ 1.700. Ambos empregos são temporários, com duração inicial de cinco meses e carga horária semanal de 40 horas.

A inscrição também é feita pela internet e custará R$ 39,49. A prova para esses cargos será aplicada no dia 18 de abril, o que permite que o candidato concorra tanto para recenseador quanto para agente censitário.

CENSO DEMOGRÁFICO 2021

O Censo Demográfico é realizado a cada dez anos e estava previsto para o ano passado, mas acabou sendo adiado para este ano devido à pandemia da Covid-19.

A pesquisa pretende visitar os mais de 70 milhões de endereços do país, com o objetivo de conhecer informações como as características dos domicílios, identificação étnico-racial, nupcialidade, núcleo familiar, fecundidade, religião ou culto, deficiência, migração interna ou internacional, educação, deslocamento para estudo, trabalho e rendimento, deslocamento para trabalho, mortalidade e autismo.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="746897" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]