Cerca de 100 mil animais marinhos morrem por ano vítimas do lixo jogado na praia

Francielly Azevedo - CBN Curitiba e Assessoria


O aumento no fluxo de pessoas nas praias também eleva o volume de lixo produzido. A sujeira, descartada de maneira incorreta, causa a morte de diversos animais.

Segundo um levantamento do Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo (IO-USP), todos os anos, cerca de 190 mil toneladas de materiais plásticos são lançados ao mar, na costa brasileira. No Paraná, 760 toneladas de lixo foram recolhidas na beira-mar apenas no verão de 2018, segundo balanço do governo do estado. O peso é equivalente a 13 baleias francas adultas, espécie que costuma visitar o litoral paranaense.

De acordo com um estudo realizado por uma universidade australiana, a contaminação dos oceanos, principalmente por plásticos, é responsável pela morte de cerca de 100 mil animais marinhos todos os anos.

O presidente do conselho da Associação MarBrasil, Ariel Scheffer, membro da Rede de Especialistas em Conservação da Natureza, conta que cerca de 700 espécies marinhas são afetadas pela poluição plástica nos mares, incluindo mais de 260 espécies ameaçadas de extinção.

“Uma das causas de grande mortalidade é o encontro de um ser marinho, não só animal, mas as plantas também; que acabam se enroscando em redes abandonadas e outros tipos de plásticos que acabam prendendo os animais”.

O biólogo destaca que as aves marinhas e as tartarugas são as mais prejudicadas por confundir sacolas com alimentos da cadeia alimentar, como águas vivas e pequenos organismos.

“Tem coloração e aparência de animais amorfos, como os mais gelatinosos, que são confundidos com alimentos. Vai para o trato digestivo, dá uma sensação de saciedade, não é digerido, fica no estômago e o animal morre”.

O especialista pede para que as pessoas se conscientizem e utilizem menos canudo, já que o item é um dos principais vilões.

“É um símbolo, não temos necessidade de usar canudos plásticos. Temos fotos emblemáticas na internet de canudos sendo retirados das narinas de uma tartaruga, por exemplo”.

Além de impactar as espécies marinhas, os resíduos descartados nas praias também interferem na vida dos banhistas. A sujeira reduz a balneabilidade, que é o índice usado para verificar a qualidade da água. Desse modo, ela se torna imprópria para o banho, podendo gerar contaminação por doenças de pele.

Os prejuízos afetam ainda a economia dos municípios, que precisam aumentar as despesas com a limpeza das praias e perdem a receita com o turismo.

“Tanto no aspecto visual, uma praia cheia de lixo perde o valor para a sociedade e o valor turístico reflete no valor comercial também. Além de diminuir a balneabilidade do ambiente e prejudicar a saúde, já que esses lixos normalmente são contaminados.

A dica é praticar o consumo consciente de todo lixo produzido.

Previous ArticleNext Article