Conselho de Comunicação do Congresso repudia ações de juízes contra jornalistas no Paraná

Mariana Ohde


O Conselho de Comunicação Social do Congresso Nacional divulgou nesta terça-feira (5) uma nota se manifestando sobre as ações movidas por juízes contra jornalistas no Paraná.

Em fevereiro, cinco jornalistas do jornal Gazeta do Povo publicaram uma reportagem compilando dados públicos para mostrar que, somados benefícios, a remuneração total de magistrados e promotores do estado chegou a ultrapassar em até 20% do teto do funcionalismo público, de R$ 30.471.

Os magistrados paranaenses moveram, então, dezenas de ações contra os profissionais. Eles pedem indenização por danos morais e reclamam de terem sido “ridicularizados”. As ações obrigaram os cinco jornalistas que assinaram a reportagem a viajarem por dias seguidos para comparecer às audiências. Os pedidos somam R$ 1,3 milhão em indenizações.

Na quinta-feira (30), os processos de juízes contra jornalistas foram suspendidos pela ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), nesta quinta-feira (30).

Veja a íntegra do Conselho de Comunicação da nota:

O Conselho de Comunicação Social, pela unanimidade de seus membros, vem a público manifestar o seu integral apoio à Ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF) que, em decisão liminar, decidiu suspender a tramitação da “enxurrada” de ações de Juízes e Promotores do Estado do Paraná, contra cinco profissionais do jornal Gazeta do Povo.

O direito de qualquer cidadão de defender seus interesses pelo caminho da Justiça é inalienável, mas quando esse princípio assume feições de uma ação orquestrada, sem qualquer objetivo altruísta, precisa sofrer correção de rumos, para não atentar contra a liberdade de imprensa, também um princípio constitucional sagrado.

A democracia não aceita e não pode conviver com quaisquer abusos de direitos.

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal