Crianças devem usar tecnologia com equilíbrio, diz psicopedagoga

Segundo Ana Paula Pamplona, o recurso deve ser utilizado como uma "ponte para o conhecimento", como uma ferramenta para "pensar sobre algo".

Redação - 12 de julho de 2022, 14:42

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

As crianças devem utilizar a tecnologia com equilíbrio. É o que diz a psicopedagoga Ana Paula Pamplona. Segundo ela, o recurso deve ser utilizado como uma "ponte para o conhecimento", como uma ferramenta para "pensar sobre algo".

“Percebemos que na nossa sociedade as crianças se relacionam com a tecnologia, principalmente com as telas, de modo passivo. Ganham celulares, tablets, televisão para se acalmar, fazer silêncio ou se divertir, enquanto os adultos precisam trabalhar ou se envolver em outros afazeres”, observa Ana Paula. 

Diante dessa realidade, as escolas entram com o desafio de trazer os aparatos tecnológicos como ponte, de associá-los como mais um recurso. “O desafio é fazer as crianças se relacionarem de forma ativa com as tecnologias e aprender por meio delas, construindo significados sobre o mundo”, destaca.

A tecnologia, no entanto, não deve ser demonizada. “Nós entendemos que as crianças de hoje em dia merecem, gostam e têm o direito de se relacionar com a tecnologia”, afirma.

ESTRATÉGIAS QUE PODEM SER UTILIZADAS PELOS PAIS

Os pais das crianças podem colocar em prática algumas estratégias para as crianças utilizarem a tecnologia com equilíbrio. São elas:

  • Combinar em quais momentos da rotina e por quanto tempo a criança poderá se relacionar com as telas em casa
  • Prever e antecipar o tempo do início e do fim da relação com a tela
  • Incluir as telas na rotina da criança de modo significativo
  • Acompanhar a criança e conhecer quais são os jogos e vídeos que ela costuma acessar
  • Orientar, comentar e estabelecer combinados sobre o conteúdo, o tempo de acesso, os melhores horários
  • Explicar para as crianças quando por necessidade os pais e as mães precisam acessar as telas com frequência ou permanecerem muito tempo no computador