Dia de combate à LGBTfobia tem empregos e curtas no Paraná

Ao todo, mais de duas mil vagas são abertas para a população LGBTQIA+. A Cinemateca de Curitiba exibe, ainda, produções com a temática da diversidade sexual.

Redação - 17 de maio de 2022, 14:02

(Foto: Pixabay)
(Foto: Pixabay)

O 17 de maio é marcado como o Dia Internacional de Combate à LGBTfobia. Nessa ocasião, diversas ações são programadas à sociedade. No Paraná, é realizado o primeiro mutirão de empregos para a população LGBTQIA+, além de uma mostra curtas-metragens sobre o tema.

Ao todo, mais de duas mil vagas de emprego são abertas na capital e no interior do Paraná. Durante esta terça-feira, 23 Agências do Trabalhador darão atendimento prioritário para esse público. 

No interior, os destaques são Cascavel, com 203 vagas para auxiliar de linha de produção e 31 para auxiliar de cozinha; Matelândia, com 73 para auxiliar de linha de produção e seis para mecânico; e Sarandi, com 30 para soldador e 30 para vendedor.

Em Curitiba, são 888 vagas nas áreas de alimentação, serviços, mercados, comércio, logística e cultura. As empresas que contratam são as seguintes:

  • Agnes RH
  • Amil
  • Assaí
  • Belinati
  • Café do Teatro
  • Condor
  • Diversa Produções
  • GD9
  • Grupo Cena Hum
  • Hamburguey
  • Instituto Internacional Arayara
  • Leroy Merlin
  • McDonald's
  • RH Nossa
  • Services
  • Softmarketing
  • Verdant
  • Vivo

A capital paranaense promove, ainda, uma mostra de curta-metragens para conscientizar a população sobre o combate à LGBTfobia.

Na quinta (19) e sexta-feira (20), das 19 às 21h45, a Cinemateca de Curitiba vai exibir produções com a temática da diversidade sexual. A mostra terá entrada gratuita para o público.

LGBTFOBIA NO BRASIL

A LGBTfobia no Brasil, segundo o mapa da violência, é demonstrada pelo número de denúncias realizadas no período de 2011 a 2019: 14.995 no 'Disque 100'.

De acordo com a Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), cerca de 20 milhões de brasileiros e brasileiras, ou seja, 10% da população, se identificam como pessoas LGBTQIA+.

Em Curitiba, foram registradas 148 notificações de violência em pessoas autodeclaradas homossexuais, bissexuais, travestis e transsexuais, no ano de 2020.