Diretor-geral brasileiro de Itaipu conhece ações socioambientais da empresa

Pedro Ribeiro

 

O diretor-geral brasileiro da Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, fez, na manhã dessa terça-feira (16), um sobrevoo de helicóptero pela região do reservatório da usina para conhecer mais de perto alguns dos projetos socioambientais desenvolvidos pela empresa. Esta é a primeira vez que Silva e Luna sobrevoa a área desde que assumiu a Diretoria Geral Brasileira de Itaipu, em 26 de fevereiro desse ano.

A atuação da binacional, em parceria com as prefeituras, resultou em ações de conservação de solos em quase 30 mil hectares com e na restauração de 1.300 km lineares de matas ciliares. Esses e outros resultados contribuíram para que Itaipu recebesse, em 2015, o prêmio de melhor gestão da água Water for Life, concedido pela Organização das Nações Unidas Água (ONU-Água). São ações como essas que o diretor foi avaliar melhor no sobrevoo.

“Já conhecia a região de outras viagens, mas dessa vez vou observar tudo de outra forma”, comentou o diretor pouco antes do embarque. “Será um outro olhar, mais atento às ações de preservação e de cuidado que a empresa desenvolve com tanta qualidade nessa área”, completou.


A segurança hídrica é uma das principais preocupações dessa gestão. “É muito bom saber que a Itaipu conta com uma equipe tão bem preparada para cuidar da água, que é a nossa matéria-prima, e que temos uma visão de longo prazo em relação à existência do lago”, avaliou Silva e Luna.

Durante a viagem, o diretor passou por pontos como o Canal da Piracema; Refúgio Biológico Bela Vista; o ponto de pesca e o terminal turístico em Santa Terezinha de Itaipu; a aldeia indígena do Ocoy, em São Miguel do Iguaçu; o terminal turístico de Itaipulândia; o corredor da biodiversidade; e o local onde será construída a segunda ponte entre o Brasil e o Paraguai, entre Foz do Iguaçu (PR) e Presidente Franco (PY). A própria usina e o Parque Tecnológico Itaipu também estavam no roteiro.

Além do diretor-geral brasileiro e do diretor de Coordenação, Newton Kaminski, participaram do sobrevoo o diretor financeiro executivo, Anatalício Risden Jr.; os assessores Ricardo Bezerra e Jorge Ricardo Áureo Ferreira; e o superintendente de Segurança Empresarial, Alfredo Santos Taranto.

O sobrevoo faz parte de um ciclo de visitas que Silva e Luna pretende fazer a todas as diretorias e fundações vinculadas à Itaipu. O roteiro começou no final de março, na Diretoria Técnica, e já passou pela superintendência de Segurança Empresarial e pelo Hospital Ministro Costa Cavalcanti. Dessa vez, a visita foi à Diretoria de Coordenação.

Em uma breve apresentação, Kaminski falou sobre as atividades da diretoria, a equipe de trabalho, um pouco do histórico de atuação, o orçamento e uma proposta de modelo de gestão para 2023. Os superintendentes e gerentes da DC participaram da reunião.

Coordenação

A Diretoria de Coordenação da Itaipu conta, atualmente, com 151 empregados, lotados em duas superintendências: “Obras e Desenvolvimento” e “Gestão Ambiental”. Kaminski explicou ao diretor que o trabalho está de acordo com o que está previsto no Anexo A do Estatuto e no artigo 66 do Regimento Interno da empresa.

De acordo com esses documentos, o “DNA” da diretoria inclui a preservação do meio ambiente, em especial no que diz respeito ao reservatório de Itaipu, e a gestão e construção de obras de infraestrutura. Essas obras podem ser de apoio ao aproveitamento hidrelétrico, para segurança da área do reservatório e para suporte ao desenvolvimento regional.

Post anteriorPróximo post
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro é jornalista com passagens pela Gazeta do Povo, Folha de Londrina e O Estado do Paraná. Foi pioneiro com a criação do jornal eletrônico Documento Reservado e editor da revista Documento Reservado. Escreveu três livros e atuou em várias assessorias, no governo e na iniciativa privada, e hoje é editor de política do Paraná Portal.