Egito decreta estado de emergência por três meses após ataque do EI

Das Agência Brasil com EFEO presidente do Egito, Abdul Fatah al Sisi, anunciou neste domingo (9) o estabelecimento do es..

Fernando Garcel - 09 de abril de 2017, 19:34

Das Agência Brasil com EFE

O presidente do Egito, Abdul Fatah al Sisi, anunciou neste domingo (9) o estabelecimento do estado de emergência no país, depois dos atentados contra duas catedrais do norte de Egito, nos quais morreram pelo menos 44 pessoas e mais de 100 ficaram feridas.

Em um discurso transmitido ao vivo pela emissora de televisão estatal, Al Sisi afirmou que o estado de exceção se estenderá por um período de três meses.

> Estado Islâmico assume autoria de atentados em igrejas no Egito

O anúncio foi feito depois de “tomar as medidas legais e constitucionais” pertinentes nestes casos, explicou o governante em seu breve pronunciamento. O objetivo do estado de emergência é “proteger o país e preservar de todo o mundo”.

“Agora somos nós que pagamos o preço”, disse o presidente egípcio, que elogiou os cidadãos por sua resistência e paciência nas difíceis circunstâncias dos últimos anos.

O estado de emergência foi decretado em algumas ocasiões excepcionais em anos passados, depois que esteve em vigor de forma contínua entre 1981 e 2012, quando foi abolido ao calor da revolução egípcia de 2011.