Empresas de cruzeiros suspendem operações após surto de Covid

A Clia Brasil, associação que representa as companhias de navios de cruzeiros no país, anunciou a suspensão das operaçõe..

Joana Cunha - Folhapress - 04 de janeiro de 2022, 07:34

Tomaz Silva/Agência Brasil
Tomaz Silva/Agência Brasil

A Clia Brasil, associação que representa as companhias de navios de cruzeiros no país, anunciou a suspensão das operações nos portos brasileiros até o dia 21 de janeiro. O comunicado foi feito nesta segunda-feira (3) em nome da MSC e da Costa Cruzeiros.

A medida foi tomada após os surtos de Covid em embarcações na semana passada, que levaram a Anvisa a recomendar ao Ministério da Saúde na sexta-feira (31) a suspensão provisória da temporada de navios de cruzeiro, em caráter preventivo, até que haja mais dados disponíveis para avaliação do cenário epidemiológico.

A Clia afirma que quer alinhar os protocolos de saúde e segurança com autoridades do governo federal, da Anvisa, de estados e municípios.

"Nas últimas semanas, as duas companhias de cruzeiros afetadas experimentaram uma série de situações que impactaram diretamente as operações nos navios, tornando a continuidade dos cruzeiros neste momento impraticável. Além disso, a incerteza operacional causou inconvenientes significativos para os hóspedes que contavam com suas férias no mar com rígidos protocolos de segurança", diz o documento.

A suspensão vale para as novas partidas, ou seja, não haverá mais embarque de hóspedes até o dia 21, e os cruzeiros que já estão acontecendo vão finalizar os seus itinerários, segundo a Clia.

Depois da recomendação feita pela Anvisa, a associação chegou a se pronunciar dizendo que o número de casos de Covid identificados nos navios é proporcionalmente pequeno, na opinião da Clia.

"Os menos de 400 casos positivos identificados a bordo representam cerca de 0,3%, ou seja, uma pequena minoria dos 130 mil passageiros e tripulantes embarcados desde o início da atual temporada, em novembro. Esses casos, em sua grande maioria assintomáticos ou com sintomas leves, foram identificados, isolados e desembarcados, conforme o protocolo vigente, assim como seus contatos próximos, representando pouca ou nenhuma carga para os recursos médicos de bordo ou em terra", disse a Clia por meio de comunicado.

A CVC Corp afirma que acompanha com atenção as recomendações da Anvisa e a decisão de suspensão provisória dos cruzeiros até o dia 21 de janeiro, bem como determinações sobre a continuidade ou não da atual temporada de cruzeiros no País.

A empresa diz que seguirá o direcionamento e a política de remarcação e reembolso adotados pelas companhias marítimas que operam os cruzeiros. Procuradas pela reportagem, MSC e Costa Cruzeiros ainda não se manifestaram.