Com curso de medicina mais barato, Rússia atrai estudantes brasileiros

Francielly Azevedo


Estudar do outro lado do mundo tem sido a opção de muitos brasileiros que buscam o curso de medicina. Um dos destinos mais procurados é a Rússia, por ter um dos custos mais baratos, já que aqui no Brasil, se o estudante não tem a felicidade de ser aprovado em uma instituição pública, precisa desembolsar um bom dinheiro.

Em Curitiba, por exemplo, a mensalidade mais barata numa instituição privada custa quase R$ 6,7 mil.

Essa situação fez a curitibana Helena Coelho Oda, de 19 anos, procurar uma instituição no exterior. Antes de ir para a Rússia, ela chegou a começar o curso de Educação Física na Universidade Federal do Paraná (UFPR), mas percebeu que queria mesmo era ser médica. Há quase dois anos ela estuda medicina na Universidade Médica Estatal de Kursk, cidade localizada a aproximadamente 500 quilômetros de Moscou.

Divulgação / Kursk State Medical University

“É bem mais barato. Comparando com uma universidade particular brasileira, que a mensalidade seja em torno de R$ 7 mil a R$ 8 mil, aqui a mensalidade é de R$ 1.800 a R$ 1.900 dependendo da cotação do dólar. Fica bem mais em conta uma formação assim, do que R$ 8 mil por mês, que é bastante pesado”, destaca.

A estudante conta que o material emprestado pela universidade russa também é vasto, poucos itens precisam ser custeados pelo aluno.”Tem bastante coisa da universidade que a gente recebe e tem os outros livros que são próprios para cada matéria, que aí é por conta própria”, conta.

Carolina Tellez é diretora do Aliança Russa, empresa responsável por administrar a graduação e pós-graduação de brasileiros no país do leste europeu. Ela conta que o custo de vida de um estudante em Kursk também é barato, gira em torno de R$ 800.

Estudar na Rússia tem atraído cada vez mais brasileiros (Acervo Pessoal)

Segundo Carolina, a instituição atua como facilitadora do processo de intercâmbio. “Muito difícil hoje em dia falar para um pai de família ou uma mãe que deixe seu filho de 17, 18 a 19 anos ir para o outro lado do mundo sem referência nenhuma. Embora muitos brasileiros estudem na Rússia, não é um destino muito comum. Então eles ficam receosos. A Aliança Russa também faz a parte de verificar a veracidade dos documentos, de saber se os pais estão apoiando os meninos, de saber se os pais tem recursos econômicos para isso”, disse.

Podem participar da seleção pessoas com até 35 anos. Além disso, é necessário falar inglês, já que as aulas são ministradas neste idioma. “O aluno não precisa saber russo. E mesmo não sabendo inglês, ele consegue fazer uma faculdade preparatória, onde ele aprende inglês na área de biológicas, dentro da própria faculdade”, ressaltou.

A diretora do Aliança Russa explica que há cerca de 500 estudantes do Brasil cursando medicina em Kursk e que os resultados têm sido muito bons. “Os alunos que tem voltado para o Brasil eles tem conseguindo revalidar o diploma, homologar o diploma, trabalhar, fazer residência médica. Então, o resultado tem sido muito bom”, garantiu.

A Helena ainda não sabe se volta ao Brasil. “Se eu for pensar na parte emocional, de querer ficar perto da minha família, a resposta que vem a minha cabeça é claro, quero. Mas se eu paro para pensar mais um pouquinho, sobre a segurança que eu tenho aqui, a qualidade de vida, a resposta é não”, explicou.

Dúvidas, inscrições e informações estão disponíveis no site ou pelo WhatsApp (11) 981208208.

 

Previous ArticleNext Article
Avatar
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.