Faculdades no Paraná oferecem bolsas de estudo para o segundo semestre

Conteúdo patrocinado


Custos de moradia, resquícios dos gastos de Natal e Reveillon, acertos de dívidas do ano que passou… fica difícil reservar um dinheiro para ingressar na faculdade nos primeiros meses do ano e os planos de iniciar o curso dos sonhos acabam sendo adiados.

Comumente, o estudante acredita que precisará aguardar até o próximo ano para iniciar os estudos. O que muitos não sabem é que muitas universidades abrem um novo período de matrículas no meio do ano para os estudantes que não conseguiram ingressar no primeiro semestre. Assim, não é necessário esperar mais seis meses para começar a estudar.

Porém, as mensalidades ainda podem ser um obstáculo no acesso ao ensino superior. Com intuito de auxiliar o estudante, algumas faculdades oferecem outras alternativas para facilitar o ingresso ainda em agosto. No Paraná, 52 Instituições de ensino privadas oferecem bolsas de estudo para cursos de graduação e pós graduação, nas modalidades presencial e a distância. Dentre elas, Unicesumar, Estácio de Sá, Uniasselvi e Uniopet. São mais de oito mil oportunidades de ingresso com bolsa de estudo em todo Estado.

O levantamento foi feito pelo Quero Bolsa, plataforma de inclusão de estudantes no ensino superior. Ao acessar o site, o estudante consegue fazer de forma simples uma busca sobre todas as vagas disponíveis na região onde mora e os percentuais de desconto oferecidos pelas instituições de ensino.

O crescimento da oferta de vagas e uma política cada vez mais intensa de oferecer bolsas de estudo permitiu a Mariana Paulino se tornar jornalista. Primeira na família a concluir uma faculdade, ela é hoje Analista de Comunicação em um grande grupo educacional, em São Paulo. Assim que começou a trabalhar na área para a qual se formou viu seu salário aumentar 40% em relação a sua renda mensal antes da graduação. Com apenas três anos de carreira e aos 26 anos de idade já concluiu uma pós-graduação e vê as possibilidades profissionais crescerem. “Quando eu olho pra trás, eu vejo tudo positivamente. Eu trabalhava para pagar metade da mensalidade e minha mãe pagava a outra metade, porque não consegui o Prouni. Ainda assim o dinheiro quase não dava. Com a bolsa, passou o receio de não conseguir levar o curso até o fim. Agora, depois de formada e trabalhando na área, a situação financeira e as perspectivas profissionais mudaram bastante e podem melhorar ainda mais”, explica. Assim como Mariana, 450 mil pessoas ingressaram em faculdades de todo o país graças às bolsas de estudo oferecidas via plataforma Quero Bolsa, que tem, inclusive, ajudado a população adulta a realizar o sonho da graduação seja para empreender ou impulsionar a carreira. Pesquisa realizada com bolsistas beneficiados pela plataforma constatou que 59,5% têm acima de 25 anos de idade. Nessa faixa etária, apenas 15,7% da população brasileira concluiu o ensino superior, segundo o IBGE. “As bolsas de estudo têm demonstrado um grande poder de inclusão de pessoas no ensino

superior ao mesmo tempo que têm se tornado uma forma das instituições de ensino enfrentarem a ociosidade, que permanece acima de 50% pelo segundo ano consecutivo, de acordo com o último Censo da Educação Superior”, conclui Marcelo Lima, especialista em Educação Superior no Vale do Paraíba.

Previous ArticleNext Article