Festival da Tarrafa de Matinhos resgata cultura de pescadores e terá, pela 1ª vez, modalidade feminina

BandNews FM Curitiba

Acontece nesse domingo (24) a 10ª edição do Festival da Tarrafa de Matinhos, no litoral do estado. O festival se tornou uma tradição na região e tem como objetivo manter a tradição dos tarrafeiros. A tarrafa é uma das artes da pescaria que usa, geralmente uma rede arredondada com pesos. As redes na maioria das vezes são feitas  pelos próprios pescadores. Podem ter a malha de vários tamanhos que se ajustam conforme o tipo de peixe que se pretende pescar. Quando lançadas na água, afundam com os pesos e servem como armadilha para os peixes.

O evento em Matinhos terá nessa edição pela primeira vez a modalidade feminina. O organizador do evento, Marins José da Silva, conta como surgiu o festival e fala sobre o desafio de se tornar o “Rei da Praia”. “Esse festival da tarrafa começou num tira-teima entre amigos. E aí formamos o primeiro em 2009 e estamos até hoje. É de graça pra quem quiser participar, mas o Rei da Praia só pra quem “derrubar” todo mundo”, brinca ele.

A competição tem respaldo da Força Verde e será na modalidade pesca e solta. “O peixe solta na hora. Tem uma pedra aqui que se chama Pedra da Bolacha, onde há muita comida para os peixes, e é ali que os peixes vem comer, então é ali mesmo que bom de pescar, tem muito peixe ali.”

Segundo Marins, um dos pontos altos do Festival da Tarrafa é o resgate da cultura dos tarrafeiros. “A tarrafa é do tempo dos nossos avós, dos meus pais e nós não queremos que isso acabe. A gente está resgatando a nossa cultura.”


O organizador conta que o competidor poderá pegar várias espécies de peixes nativos. “Tem muitas espécies de peixe que são de tradição na beira da praia. O que importa é você pegar, já está valendo para a organização.”

Os competidores podem se inscrever gratuitamente no local do evento que acontece na Pedra da Bolacha em Matinhos a partir das 9 da manhã do dia domingo (24). Mais informações no fone 41 99633-3993.

Post anteriorPróximo post
em 20 minutos tudo pode mudar
Comentários de Facebook