Fiocruz descobre que pernilongo pode transmitir zika

Jordana Martinez

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) anunciou o sequenciamento do genoma do vírus Zika, coletado no organismo de mosquitos do gênero Culex  e a descoberta de que o vírus consegue alcançar a glândula salivar do animal, o que indicaria, segundo a instituição, que o pernilongo pode ser um dos transmissores do vírus Zika.

Os resultados foram publicados na revista Emerging microbes & infections, do grupo Nature, nesta quarta-feira (09).

Veja o artigo: “Zika virus replication in the mosquito Culex quinquefasciatus in Brazil

Mosquitos já infectados foram colhidos na Região Metropolitana do Recife. Em laboratório foi comprovado que o vírus consegue se replicar dentro do mosquito e chegar até a glândula salivar. A evolução foi fotografada por microscopia eletrônica.


De acordo com a Fiocruz, o artigo “demonstra” a possibilidade de transmissão do vírus Zika por meio do pernilongo na cidade. Segundo a instituição, será analisado agora “o conjunto de suas características fisiológicas e comportamentais, no ambiente natural, para entender o papel e a importância dessa espécie na transmissão do vírus Zika”.

O genoma do zika já havia sido sequenciado em 2016, por meio de uma amostra humana,  pelo Departamento de Virologia e Terapia Experimental da Fiocruz Pernambuco, em parceria com pesquisadores da Universidade de Glasgow.

Post anteriorPróximo post
Jordana Martinez
Profissional multimídia com passagens pela Tv Band Curitiba, RPC, Rede Massa, RicTv, rádio CBNCuritiba e BandNewsCuritiba. Hoje é editora-chefe do Paraná Portal.
Comentários de Facebook