Força Nacional seguirá atuando na tríplice fronteira, no Paraná

Policiais da Força Nacional reforçam o esquema estadual de fiscalização na área fronteiriça, no combate ao tráfico de drogas e contrabando de mercadorias.

Redação - 02 de junho de 2022, 11:14

Foto: Valdelino Pontes/AEN
Foto: Valdelino Pontes/AEN

O emprego da Força Nacional de Segurança Pública na região da tríplice fronteira, no Paraná, foi prorrogado pelo Governo Federal. A medida foi confirmada nesta quinta-feira (2), em portaria assinada pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, e publicada na edição de hoje do Diário Oficial da União.

O uso da Força Nacional na fronteira entre Brasil, Argentina e Paraguai deve durar até 30 de novembro. O texto publicado hoje não menciona a possibilidade de futuras novas prorrogações.

A normativa aponta que a Força Nacional atuará “em apoio ao Estado do Paraná e aos órgãos de segurança pública, em caráter episódico e planejado, prioritariamente nas cidades localizadas na região fronteiriça Brasil-Argentina-Paraguai, nas atividades e nos serviços imprescindíveis à preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio”.

Em dezembro do ano passado, 80 policiais da Força Nacional chegaram ao Paraná para reforçar o esquema estadual de fiscalização na área fronteiriça. A operação foi concentrada nos municípios de Guaíra, Icaraíma, Alto Paraíso e Foz do Iguaçu, todos na Região Oeste.

O suporte técnico atende a uma solicitação feita pelo Governo Estadual à União para fortalecer a fiscalização e repreensão ao tráfico de drogas e contrabando de mercadorias na região, principal porta de entrada desses ilícitos no país.

Entre as atividades atribuídas à Força Nacional estão a fiscalização, pontos de bloqueios, patrulhamentos e abordagens com o intuito de localizar criminosos, contrabandistas, armas e drogas.

Desde 2004 a Força Nacional tem atuado em conjunto com as forças estaduais, por meio de programa de cooperação federativa entre a União, através do Ministério da Justiça e Segurança Pública, e as unidades federativas. O efetivo da organização é composto por policiais militares e civis, bombeiros militares e profissionais de perícia, mobilizados das instituições de segurança pública dos estados e do Distrito Federal.