Geração de energia limpa do Grupo JMalucelli abastece uma cidade de 1,4 milhão/h

Pedro Ribeiro


A Porto de Cima Concessões e a Alen, empresas do Grupo JMalucelli, ampliam a presença no setor de Gás Natural Renovável, passando a explorar Biogás em aterros sanitários nos Estados do Rio de Janeiro e São Paulo.

Com as termoelétricas, é possível fornecer energia limpa para uma cidade com até 1,4 milhão de habitantes. A matéria-prima usada na produção do biogás é de origem orgânica, retirada de aterros sanitários. Essa fonte energética pode ser utilizada como combustível para fogões, motores e na geração de energia elétrica.

A Usina Termoelétrica de São Gonçalo (UTE), localizada no estado do Rio de Janeiro, onde as empresas investiram R$ 120 milhões terá uma capacidade instalada de 16.9 MW e geração de 131 GW/hora por ano.

Em São Paulo, são duas termoelétricas: Bandeirantes, com capacidade de geração de 20 MW/hora de energia limpa e a São João, também na região Leste de São Paulo, com geração de 24 MW/hora de energia. O Biogás é retirado de dois aterros sanitários da cidade.

A usina termelétrica do aterro sanitário São João, em São Mateus, na Zona Leste transforma em energia elétrica o gás produzido pela decomposição natural das 26 milhões de toneladas de resíduos sólidos depositados no aterro São João entre 1992 e 2007 e parte do gás produzido no Aterro Sanitário Central de Tratamento de Resíduos Leste – CTL, ainda em operação. A usina inaugurada em 2008 é abastecida por gás captado por poços espalhados em 80 hectares. O gás é bombeado por 30 km de tubos até os 16 motores capazes de gerar 24 Mwh.

Com a produção de energia limpa a JMalucelli se posiciona entre os quatro maiores produtores de gás no Brasil, com geração de 60,9 MW/hora de capacidade instalada e a maior produtora de biogás do Brasil, com capacidade para processar 1.150.000 Nm3/dia.

Em função da alta concentração de metano (cerca de 50%) e de dióxido de carbono (acima de 30%), o biogás é um dos principais poluentes do meio ambiente, pois contribui diretamente para o aumento do efeito estufa. Pode ser considerado até 21 vezes mais poluente que o gás carbônico. Hoje a JMalucelli retira mais de 210 milhões de M3/ano de gás metano do meio ambiente.

O setor de Gás Natural Renovável (biogás e biometano) vem em franca expansão no país e com vantagens ambientais claras, entre elas 90% de redução de emissão de CO2 em relação ao gás natural de origem fóssil.

A captação do biogás é feita por dutos. Posteriormente, o material é processado, podendo ser transformado diretamente em energia elétrica, ou tratado e vendido como combustível renovável homologado pela ANP (Agência Nacional do Petróleo), chamado biometano.

A Porto de Cima já fornece biometano para grandes indústrias no Rio de Janeiro e também já possui parcerias para atender redes de postos de combustíveis no Estado, além de já fornecer energia elétrica limpa ao mercado.

No Estado de São Paulo, as operações da subsidiária da JMalucelli estão concentradas somente no processamento do biogás para geração de energia elétrica.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal