Greve de bancários justifica atraso em taxa judiciária, decide STJ

Narley Resende


O Superior Tribunal de Justiça decidiu que greves de bancários justificam atrasos no pagamento da taxa judiciária conhecida como preparo. A jurisprudência foi incluída na última edição do Pesquisa Pronta, ferramenta permite ao usuário consultar de forma rápida os entendimentos da corte.

Conforme o texto, o prazo prescricional aplicável às ações de repetição de indébito referentes a cobranças indevidas praticadas por empresas telefônicas é de dez anos.

Para o tribunal, a impugnação, no agravo, de capítulos autônomos da decisão recorrida somente induz a preclusão das matérias não impugnadas.

Ainda em relação à área de Processo Civil, a corte entende que a greve de bancários constitui justo impedimento ao recolhimento do preparo, desde que efetivamente o impossibilite.

Sob pena de preclusão, a circunstância impeditiva deve ser manifestada e comprovada no ato da interposição do recurso, com o posterior pagamento das custas e a juntada da respectiva guia aos autos no dia seguinte ao término da greve, ou no prazo fixado pelo tribunal via portaria.

A jurisprudência do STJ estabelece que, em caso de interposição de recurso especial inadmitido e de agravo em recurso especial sem êxito, a data do trânsito em julgado para a defesa retroage até o último dia do prazo de interposição do recurso especial.

Com informações da Assessoria de Imprensa do STJ.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="476814" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]