‘Hipster da federal’ rejeita proposta para se tornar modelo em nome da carreira na PF

Da BandNews CuritibaCom as portas abertas para o mundo das celebridades, o assédio em torno do ‘hipster da federal’ pare..

Andreza Rossini - 09 de novembro de 2016, 13:15

Da BandNews Curitiba

Com as portas abertas para o mundo das celebridades, o assédio em torno do ‘hipster da federal’ parece longe de terminar. Lucas Valença, que é agente da Polícia Federal, tem recusado convites para se tornar modelo, garoto propaganda e até presença VIP em eventos.

Ele entrou de férias logo depois de aparecer em meio à escolta do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB/RJ), preso em Brasília no dia 19 de outubro, e se prepara para voltar às atividades nesta semana. E garante que não vai deixar o trabalho na PF mesmo diante de tantas ofertas.

"Não lembro todas, mas convites de propagandas de algumas marcas que se interessaram. Não era para ter chamado a atenção, foi um fato inesperado, uma surpresa. Não estou negociando nada por não poder em nome do meu trabalho, não tenho intenção de deixar a polícia", afirmou.

A polêmica envolvendo o agente começou após ele virar assunto nas redes sociais. Isso porque o rapaz foi a um programa de auditório em uma emissora de televisão no dia 24 de outubro e, na sequência, surgiram rumores de que ele teria sido afastado da Corporação por causa disso. Na época, em entrevista à BandNews, o presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais, Luís Antônio Boudens , disse que havia pedido a antecipação das férias de Valença preventivamente.

O presidente da entidade também afirmou que cogitava orientá-lo a pedir uma licença até que a situação voltasse ao normal.

"Nós temos essa preocupação tanto com a imagem da corporação quanto a imagem pessoal. Já estávamos trabalhando preventivamente. Foi solicitado a ele que antecipasse as férias e estamos estudando um afastamento temporário sem remuneração", disse.

Sobre isso, Valença diz que tudo não passou de um mal-entendido e nega que tenha recebido qualquer conselho para adiantar o período de descanso. O agente confirma a antecipação das férias, mas esclarece que isso aconteceu por iniciativa própria devido ao repentino interesse das pessoas por ele. A folga – que já estava programada para novembro – começou justamente em 24 de outubro, quando o rapaz participou do programa televisivo.

"Acabando as férias, essa semana, eu vou voltar para o trabalho normal", afirmou.

Valença afirma ainda que só aceitou dar a entrevista depois que as férias foram autorizadas. Ele também ressalta que não foi convidado como representante da Corporação, e sim na condição de cidadão que possui interesse da sociedade e que não recebeu cachê para participar da atração.

Lucas Valença foi apelidado de “hipster da federal” por causa do visual com barba, cabelo crescido e tatuagens. A discussão a respeito dele ganhou corpo quando a Polícia Federal confirmou que poderia abrir um processo disciplinar contra ele por conceder entrevistas sem autorização. Para a PF, isso seria um desrespeito às normas internas.

No dia seguinte à prisão de Eduardo Cunha – quando a imagem de Lucas Valença circulou nas redes sociais – policiais federais fizeram a escolta do ex-presidente da Câmara usando a balaclava, espécie de touca que deixa a mostra apenas os olhos de quem a usa.