“Homem não vai a médico nenhum depois do pediatra”, diz Bassi

Fernando Garcel


Com Brunno Brugnolo do Metro Jornal Curitiba

Sérgio Bassi é médico cirurgião urologista, Mestre e Doutor pela Universidade de Paris (Sorbonne), membro das Sociedades Internacional, Brasileira, Americana, Europeia e Francesa de Urologia e diretor da clínica Griffon. Devido ao Novembro Azul, Bassi lançou neste mês o portal www.sexualidademasculina.com.br sobre o aparelho genito-urinário. Em entrevista ao Metro Jornal Curitiba, Bassi afirma que, diferente das mulheres, os homens não procuram médicos durante a juventude e a fase adulta e só aparecem nos consultórios de especialistas quando já existem problemas de saúde.

O homem ainda tem resistência em ir ao médico?
Existe o machismo e o tabu na sociedade latina, mas existe uma outra coisa que explica muito mais. A menina com 10, 12, 14 anos para de ir no pediatra e a mãe passa a levar no ginecologista. O homem não tem isso e aí para de ir ao médico. Só vai quando tem sintomas depois dos 40 [anos] nos genitais por problemas urinários ou sexuais. Então ele não tá acostumado, esqueceu de ir num consultório, porque dos 10, 12 aos 40 não viu medico. Aí, quando tem problema, tem que ver o médico com um problema que envolve o machismo dele.

Quais os principais cuidados do homem quando jovem?
É importante o cuidado com doenças sexualmente transmissíveis, porque o preservativo não é garantia total de segurança. O contato de genitais antes do sexo sem a camisinha, por exemplo, não é suficiente para pegar o vírus HIV, mas é suficiente para contrair HPV, clamídia, fungos, triconomas e aí por diante. Também tem a moda muito grande hoje de ter musculatura, de aumentar ela. Toda e qualquer adição de hormônio sem orientação médica em qualquer idade pode ser prejudicial. Com mais idade pode afetar a próstata e mais jovem [a adição] informa ao testículo e hipófise que já tem hormônio, então acomoda e não produz. Quando chega nos 40 [anos] e precisa, já tá atrofiado. E, claro, levar uma vida saudável.

Como o câncer de próstata se manifesta?
Ele é silencioso, não detecta por sintomas, cresce sem dar dificuldade urinária alguma – só com exames. Se detectar de forma precoce, tem 95% de cura, mas se não cai para 30%. Já o tumor benigno da próstata gera dificuldade para urinar.

Além da próstata, quais outros principais problemas do homem a partir dos 40 anos?
Tem a questão da testosterona, que envolve o humor, memória, cansaço físico, mental, a gordura abdominal – que faz a barriguinha –, falta de desejo sexual, diminuição da massa muscular. A partir dos 40, 45 [anos], existe a queda no hormônio masculino, que é a andropausa. É possível fazer a reposição hormonal sem problemas para a próstata. Para ter ideia, mais de 50% dos homens que procuram um psiquiatra por estar se sentindo depressivo ou um clínico por cansaço físico ou mental, ou porque tá engordando, com falta de memória, tem diminuição da taxa de testosterona. E no fundo não tem nada demais. É apenas a reposição hormonal que é necessária. É só repor e fica tudo normal.

Previous ArticleNext Article