Impacto da redução em preços de combustíveis depende de cada posto

Narley Resende


Após anúncio da Petrobras de redução no preço da gasolina e do diesel em refinarias, o Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis (Sindicombustíveis-PR) afirmou em nota que os postos “são apenas uma etapa na cadeia de comercialização” e não garantiu que a redução será repassada ao consumidor final.

“Cabe ainda aguardar como as distribuidoras vão operar dentro da nova política. Não há no momento como fazer uma previsão técnica de quando a redução terá reflexos nos preços de mercado, bem como quais serão os valores”, diz a nota.

A Petrobras anunciou hoje (14) a redução do preço da gasolina em 3,2% em suas refinarias, a partir da zero hora de amanhã (15). Também haverá redução de 2,7% no preço do diesel. Os reajustes são reflexo de uma nova política de preços aprovada ontem (13) pela empresa.

A redução é para o combustível vendido no atacado para postos de gasolina. O impacto dessas reduções no bolso do consumidor dependerá das estratégias de cada posto. Mas, se o repasse da redução no preço na refinaria for feito integralmente para o preço ao consumidor, as reduções serão de 1,4% na gasolina e 1,8% no diesel.

A nova política terá preço de paridade internacional (PPI), margem para remuneração de riscos inerentes à operação e nível de participação no mercado. A empresa estabeleceu, entre outras coisas, que nunca terá preços abaixo da paridade internacional. A política de preço de paridade internacional (PPI) inclui os custos com frete de navios, custos internos de transportes e taxas portuárias.

Os preços serão revistos pelo menos uma vez por mês. Eles podem ser reduzidos, aumentados ou mantidos.

Veja a nota do Sindicombustíveis na íntegra:

“Em relação à notícia divulgada pela Petrobras de redução de preço nas refinarias da gasolina e do diesel, o Sindicombustíveis-PR informa:
Esta é uma notícia positiva, aguardada por todo o setor, e que já deveria ter sido tomada antes, diante da flutuação para baixo dos preços do barril no mercado internacional. Preços menores são benéficos tanto para os consumidores como para os revendedores.
Entretanto, os postos de combustíveis representam a última etapa na cadeia de comercialização. Cabe ainda aguardar como as distribuidoras vão operar dentro da nova política.
É importante salientar ainda que a redução do preço é na gasolina A, e não inclui a carga de impostos nem o etanol anidro, que chega a 27% na mistura.
Deste modo, não há no momento como fazer uma previsão técnica de quando a redução terá reflexos nos preços de mercado, bem como quais serão os valores.
Por fim, ressaltamos que o Sindicombustíveis-PR não tem a função de formular ou fiscalizar a prática de preços, seja de associados ou de não associados.”
(Com Agência Brasil)

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="391117" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]