INSS inicia perícia médica com uso da telemedicina no dia 16 de novembro

Os atendimentos da experiência piloto de realização de perícia médica do INSS com uso da telemedicina começam a partir d..

Agência Brasil - 09 de novembro de 2020, 11:25

Igor do Vale/Folhapress
Igor do Vale/Folhapress

Os atendimentos da experiência piloto de realização de perícia médica do INSS com uso da telemedicina começam a partir da próxima segunda-feira (16) e seguem até o dia 31 de janeiro de 2021.

De acordo com a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, o protocolo da experiência piloto foi aperfeiçoado para dar segurança ao ato pericial dos peritos médicos federais, que ficam autorizados a realizar perícias médicas por telemedicina, durante o período de enfrentamento da pandemia da Covid-19.

PERÍCIA MÉDICA DO INSS ATRAVÉS TELEMEDICINA

A experiência da realização da perícia médica do INSS através da telemedicina é um projeto-piloto e foi pensada para dar mais fluxo às filas de espera, principalmente aos de auxílio por incapacidade temporária de trabalho, que correspondem à grande maioria dos pedidos em espera para análise.

Por enquanto, essa modalidade será destinada a um grupo restrito de pessoas. Inicialmente, apenas empresas que demostraram interesse e se cadastraram no INSS é que poderão oferecer as perícias virtuais.

De acordo com a secretaria, houve consenso entre os órgãos sobre a necessidade de se promover ajustes no protocolo formalizado pela Subsecretaria da Perícia Médica Federal e INSS no dia 7 de outubro, especialmente no que diz respeito à atuação do médico do trabalho.

A secretaria ainda informou ainda que as entidades trabalharam no roteiro de procedimentos. O INSS disponibilizará às empresas, por meio eletrônico, o Termo de Adesão de Participação da Experiência Piloto de Realização de Perícias Médicas com Uso da Telemedicina (Pmut), a partir desta segunda-feira (9).

“A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho e o Instituto Nacional do Seguro Social realizaram reuniões com o Conselho Federal de Medicina e a Associação Nacional de Medicina do Trabalho para aperfeiçoar o protocolo e dar cumprimento à decisão do tribunal”, informou a secretaria.