Jogos Olímpicos no Rio estariam ameaçados pelo Estado Islâmico

Francielly Azevedo


O diretor da Inteligência Militar da França disparou o alerta de que um brasileiro estaria organizando um atentado para acontecer durante o evento. A informação foi divulgada pelo jornal Libération, nesta quarta-feira (13). O ataque seria uma encomenda do grupo terrorista Estado Islâmico e atingiria a delegação esportiva francesa.

A ação foi revelada na comissão parlamentar de inquérito, aberta para apurar falhas da polícia na prevenção e na reação aos ataques terroristas de Paris, em novembro de 2015. Durante as investigações, o plano foi relatado pelo diretor de Inteligência Militar, um dos serviços secretos do país. O depoimento do militar foi ouvido em 26 de maio pelos deputados, mas o relatório só foi divulgado nesta terça-feira, segundo o Libération.

As informações do documento eram sigilosas e a revelação sobre o suposto terrorista não deveria constar na transcrição. De acordo com o jornal, o próprio general teria pedido que esse trecho fosse ocultado. O presidente da Assembleia, George Fenech, em entrevista ao jornal Le Figaro, reconheceu o erro da divulgação das informações confidenciais.

 

O atentado

No documento, não existem trechos que o general Christophe Gomart, da Inteligência Francesa, fale sobre como seria o episódio. Ele também não teria dado detalhes sobre uma possível prisão do suspeito de preparar o atentado, nem sobre a sua localização, no Brasil.

A transcrição do depoimento mostra um deputado questionando o general com a seguinte frase: “esse brasileiro que estava pronto para cometer atentados contra a delegação francesa nos Jogos Olímpicos”. A informação está solta no texto, no momento em que o diretor fala de alguns episódios em que os serviços secretos foram eficientes na prevenção de novos atentados.

 

Força Tarefa

Para proteger a população brasileira e os visitantes de qualquer ameaça uma Força Tarefa está sendo montada. O Comitê Olímpico Internacional (COI) informou que, além dos 85 mil homens brasileiros, 250 policiais de 55 países vão “apoiar as forças armadas locais e os serviços de polícia”. As organizações de inteligência da Bélgica, França e Estados Unidos, países que já sofreram atentados, apoiarão a operação antiterrorismo no Brasil.

Além disso, os serviços de segurança estão fazendo uma verificação dos antecedentes de todos os envolvidos nos Jogos. O COI afirmou que aproximadamente 400 mil pessoas já foram avaliadas.

Pensando na segurança das Olimpíadas, o governo brasileiro criou um centro antiterrorista. Os jogos têm início no dia 5 de agosto e deve levar ao Rio de Janeiro mais de 500 mil turistas.

Previous ArticleNext Article
Avatar
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.