Lockdown no Reino Unido: Boris Johnson anuncia bloqueio para conter alta da covid-19

Vinicius Cordeiro

boris johnson lockdown coronavírus reino unido

O primeiro-ministro Boris Johnson, do Reino Unido, anunciou que a Inglaterra voltou ao lockdown nesta segunda-feira (4) para conter o avanço do coronavírus. As normas são de fechamento de todas as escolas e das atividades não essenciais, como comércio e academias, pelas próximas seis semanas, ou seja, até metade de fevereiro.

“Agora nós temos uma nova variante do vírus. Tem sido frustrante e alarmante a velocidade com que essa variante se espalha. Nossos cientistas confirmaram que a nova cepa é entre 60% a 70% mais transmissível, o que significa que é mais provável de contrair a doença. Enquanto eu falo com vocês agora à noite, nossos hospitais estão mais pressionados do que em qualquer época desde o início da pandemia”, disse Boris Johnson.

Esse é o terceiro lockdown do Reino Unido durante a pandemia. Segundo ele, o número de pacientes internados é 40% maior do que no primeiro pico da doença, em abril do ano passado.

“Está claro que precisamos fazer mais, juntos, para trazer essa nova variante ao controle enquanto as vacinas são aplicadas. Isso significa que, mais uma vez, está instruindo você a ficar em casa. Você só poderá sair de casa por razões limitadas, como compras essenciais, se precisar trabalhar caso não seja possível fazer isso em casa, para se exercitar, para procurar assistência médica, como fazer o teste para covid-19, ou escapar de violência doméstica”, completou o premiê.

Entre as medidas estão o fechamento de escolas primárias e secundárias, estudantes não poderão voltar às universidades até fevereiro e atividades não essenciais devem fechar, se ainda não o fizeram. Apesar da prática de exercícios estar liberada, só é possível fazer atividades com uma outra pessoa e é proibido sentar em algum banco para tomar chá, por exemplo. Além disso, a polícia pode multar pessoas, em até 200 libras, ou empresas, por até 10 mil libras, que organizarem reuniões.

REINO UNIDO VOLTA AO LOCKDOWN APÓS AUMENTO DE CASOS DE COVID-19

A medida foi tomada após uma disparada dos casos de covid-19. Nas últimas 24 horas, foram 58.784 novas confirmações, recorde diário. Além disso, são mais de 50 mil infectados por dia na última semana. O aumento é de 50% em relação à semana anterior, com número de testes praticamente equivalente.

O crescimento da doença no Reino Unido está atrelado ao surgimento de uma nova variante do coronavírus, conhecida como B117 e 70% mais transmissível.

Conforme os dados do monitoramento da Universidade Johns Hopkins, dos Estados Unidos, o Reino Unido acumula 75.544 mortes e 2.721.590 infectados. Apenas a Itália totaliza mais vítimas na Europa.

As medidas entram em vigor a partir da meia-noite desta terça-feira (5), mas a recomendação é adotar as normas desde que o anúncio foi feito. O Parlamento britânico vai se reunir para avaliar o lockdown nesta quarta, mas não há expectativa que os fechamentos sejam retirados. “Os ministros teriam ficado sem opção depois de serem confrontados com números terríveis por chefes de ciência hoje”, afirma o jornal britânico The Sun.

No site do governo britânico, o aviso é claro: “Você deve ficar em casa. Esta é a ação mais importante que todos podemos realizar para proteger o NHS [Sistema de Saúde do Reino Unido] e salvar vidas. Você não deve deixar sua casa a menos que seja necessário. Fique 2 metros afastado de qualquer pessoa que não pertença à sua casa”.

Veja o anúncio feito por Boris Johnson.

Previous ArticleNext Article