Mais de mil pessoas possuem digital duplicada ou em multiplicidade no TRE-PR

Com BandNews CuritibaMais de mil pessoas possuem registros de impressões digitais duplicadas ou em multiplicidade..

Mariana Ohde - 21 de março de 2017, 08:07

Com BandNews Curitiba

Mais de mil pessoas possuem registros de impressões digitais duplicadas ou em multiplicidade no banco de dados dos cadastros biométricos do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR). Os dados ainda revelam mais de 22 mil títulos eleitorais, em todo o país, nesta situação. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a pluralidade biométrica acontece quando um mesmo eleitor possui duas ou mais inscrições.

De acordo com o chefe da Comunicação Social do TRE-PR, Marden Machado, em caso de duplicidade, o título mais recente é cancelado automaticamente. "Antes da biometria, isso era detectado quando era feito um cruzamento de dados entre os estados. Como hoje está tudo interligado, e muitos municípios já fazem o uso da biometria, isso é reconhecido no confronto das digitais. O sistema já detecta isso e já elimina automaticamente", explica.

De acordo com o TSE, a “falsa identidade” – um dos tipos de coincidência biométrica – acontece quando uma pessoa faz o registro na Justiça Eleitoral portando documentos falsos. O “duplo cadastramento” ocorre quando o eleitor muda de estado e, ao invés de, fazer a transferência de título, acaba se cadastrando novamente.

Segundo Marden Machado, esta é a situação mais comum. "As pessoas mudam de estado e, ao invés de solicitar uma transferência, que usa a mesma base, pede o mesmo título. E a Justiça Eleitoral comunica que esse título foi cancelado. Se, mesmo assim, a pessoa não fica sabendo, quando ela tenta votar na eleição seguinte isso vai constar da mesa receptora, que o título está cancelado e ele precisa entrar em contato com o cartório eleitoral para averiguação", afirma.

O maior número de pluralidade de títulos de eleitor foi registrado no estado de Goiás, com mais de quatrocentos e cinquenta cadastros duplos. O Mato Grosso do Sul teve o menor número, registrando apenas quarenta e um casos.