Modelo curitibano é diagnosticado com tuberculose na China e família pede ajuda

A família do modelo curitibano Lucas Honorato criou uma 'vakinha' para custear o tratamento de tuberculose contagiosa do..

Mirian Villa - 04 de maio de 2020, 11:45

Reprodução/Arquivo pessoal
Reprodução/Arquivo pessoal

A família do modelo curitibano Lucas Honorato criou uma 'vakinha' para custear o tratamento de tuberculose contagiosa do jovem em Xangai, na China.

De acordo com a mãe do jovem, ele está no país faz um ano e meio e não tem acesso ao sistema público de saúde, já que a China não tem um sistema de saúde gratuito, como o SUS.

Lucas Honorato, de 21 anos, foi para Xangai a trabalho, onde vive com uma amiga. Os primeiros sintomas aparecem em abril e foram tosse e falta de ar, que duraram um mês, até os médicos descobrirem a causa.

Durante um exame, o modelo curitibano foi diagnosticado com tuberculose contagiosa. Após iniciar o tratamento, Lucas foi encaminhado para um hospital especializado em pulmão e doenças contagiosas.

"Ele está nesse lugar e, agora, precisa de ajuda para o tratamento. Que é de longo prazo, deve durar mais ou menos seis meses", disse Andrea Honorato, mãe do modelo.

Até o momento, a vakinha conseguiu R$ 34 mil reais. Para ajudar clique aqui!

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Lucas Honorato (@lucas.honoratoo) em

O QUE É A TUBERCULOSE?

A tuberculose é uma doença infecto contagiosa, conhecida como ‘tísica pulmonar’. Segundo a UNA (Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde), o contágio ocorre pelo ar, através da tosse, espirro e fala da pessoa que está doente que lança os bacilos no ambiente.

Para o portal da UNA, a médica Celina Boga, o tratamento é feito com quatro drogas -rifampicina, isoniazida, pirazinamida e etambutol- que estão no mesmo comprimido.

"Nos primeiros dois meses -fase intensiva do tratamento-, a pessoa usa essas quatro drogas. Na fase de manutenção, que dura quatro meses, a pessoa usará apenas duas drogas -a rifampicina e a isoniazida. Quando esse tratamento de seis meses é bem feito a maioria das pessoas ficam curadas da infecção", disse a médica.