Mulheres terão curso gratuito de defesa pessoal em março

Andreza Rossini


A Federação Sul Americana de Krav Magá vai dar aula gratuita de defesa pessoal para mulheres a partir de 14 anos, como “presente” do dia da mulher, que é celebrado em 8 de março.

Os cursos vão acontecer em toda a América do Sul, nos primeiros finais de semana do mês.

Serão quatro horas de aula que, de acordo com a treinadora e proprietária do centro, Fernanda Maedlener, vão ajudar as mulheres a se defender no dia a dia. “Nós vemos que a agressão acontece mais com as mulheres, se comparado aos homens. São situações de roubo de bolsa, abordagem no carro, puxões no cabelo, forçar beijos … Tem uma saída para essas situações, com uma técnica simples, rápida e objetiva para a mulher poder se defender”, afirmou.

Ainda de acordo com Fernanda, quem quiser participar não precisa fazer treinamentos ou ter qualquer tipo de preparo físico. “São técnicas fáceis e a mulher não precisa ser mais forte do que o agressor para conseguir aplicar”, explicou.

Em Curitiba, as aulas vão acontecer nos dias 11 e 12 de março, nos centros de treinamento do centro de Curitiba e do bairro Bacacheri. No total, são 160 vagas.

Em todo o Brasil, a expectativa da federação é ensinar a técnica para 10 mil mulheres. Para fazer a inscrição, a interessada deve encaminhar um e-mail para infopr@kravmaga.com.br, solicitando a ficha de inscrição.

Violência contra a mulher

No Paraná, 25 mulheres são hospitalizadas por dia vítimas de violência. Os dados são do Sistema de informação de Agravos de Notificação do Ministério da Saúde. O principal agressor é o cônjuge ou companheiro, em seguida vem a mãe da vítima e, em terceiro lugar, o pai.

Só em Curitiba, a Delegacia da Mulher registrou, entre maio e dezembro do ano passado, 3.559 boletins de ocorrência, uma média de 17 por dia. Desse total, 1358 são por agressão física. Segundo a delegada da Delegacia da Mulher, Samia Coser, a maioria das vítimas que procura auxílio já foi agredida mais de uma vez.

Em seis meses de funcionamento, a Casa da Mulher Brasileira já atendeu mais de três mil mulheres vítimas de violência – é uma média de 20 atendimentos por dia desde a abertura do espaço, em junho deste ano.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="416876" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]