Novo grupo de venezuelanos deve desembarcar em Curitiba em dezembro

Lenise Aubrift Klenk - BandNews FM Curitiba


Um grupo de 102 venezuelanos deve desembarcar em Curitiba no dia 19 de dezembro. Eles serão trazidos de Roraima, no Norte do Brasil, com mais 102 imigrantes que seguem para Florianópolis, em Santa Catarina. Os dois grupos vão participar de um novo projeto de acolhimento, proteção e integração, que recebeu o nome de Pana, palavra que significa “amigo” em um idioma indígena da Venezuela.

Diferentemente dos primeiros venezuelanos que chegaram ao Paraná neste semestre, os próximos serão alojados em casas alugadas pelas instituições responsáveis pela iniciativa. Idealizado pela Cáritas da Suíça em parceria com o governo dos Estados Unidos, o projeto será executado em sete capitais pela Caritas brasileira.

Além de Curitiba e Florianópolis, as cidades que participam do Programa Pana são Boa Vista, Porto Velho, Brasília, Recife e São Paulo. Na região de Curitiba, os imóveis encontrados ficam na capital e em Colombo. Um dos articuladores locais do Pana, o psicólogo Marcos Regazzo, diz que agora o projeto está fazendo uma campanha para arrecadar doações para mobiliar as casas.

“Estamos começando uma campanha para arrecadar utensílios domésticos, desde coisas pequenas, como garfos e facas, até coisas maiores, como televisão, geladeira. Agora, precisamos mobiliar as casas”, explica. “Nossa ideia é estar com as casas prontas até dia 17 para, no dia 19, eles chegarem”.

A Cáritas também aceita doações de celulares usados. Eles são uma forma de garantir a autonomia dos imigrantes, que devem buscar emprego e precisam garantir contato com possíveis empregadores. As instituições têm orçamento para pagar aluguel de aproximadamente R$ 900 por casa.

A intenção é alugar imóveis onde caibam de 6 a 8 pessoas em cada. O Paraná já recebeu três grupos de imigrantes venezuelanos atendidos pela Operação Acolhida, projeto do governo federal que tem o apoio da Agência da ONU para Refugiados, a Acnur. Uma parte está em Curitiba, em um imóvel alugado pela Cáritas, chamado de Casa Dom Oscar Romero. Alguns já se mudaram para outras cidades, onde conseguiram oportunidades de trabalho.

Outra parte está em Goioerê, no Noroeste do Paraná, sob a responsabilidade da organização Aldeias Infantis SOS. Pessoas interessadas em ajudar os venezuelanos com doações podem entrar em contato com a Caritas em Curitiba pelo telefone (41) 3039-7869. As doações também podem ser entregues das 9h às 17h na Casa de Acolhida Dom Oscar Romero, na Rua General Teodorico Guimarães, número 48, no bairro Fanny.

Previous ArticleNext Article