Geral Patrocinado
Compartilhar

Nutricionista orienta como estimular uma boa relação da criança com a alimentação

Como consequência da alimentação desbalanceada, tem-se o crescimento físico ideal prejudicado, podendo gerar doenças crônicas graves ao longo da vida.

Conteúdo patrocinado - 13 de abril de 2022, 17:22

Adobe Stock/Educa Mais Brasil
Adobe Stock/Educa Mais Brasil

Uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde aponta que uma a cada 10 crianças com até cinco anos de idade, no Brasil, está com excesso de peso. Esse dado é alarmante e mostra a importância de uma alimentação melhor no desenvolvimento dos pequenos. Como consequência da alimentação desbalanceada, tem-se o crescimento físico ideal prejudicado, podendo gerar doenças crônicas graves ao longo da vida do indivíduo. Por isso, o hábito de uma alimentação saudável deve ser adotado desde cedo.

As carências nutricionais na fase infantil podem aumentar o risco de infecções e promover alterações no sistema nervoso, acarretando em problemas mentais e intelectuais, além de desequilíbrios funcionais e morfológicos. “Este período é fundamental para estabelecer uma relação sadia com a alimentação. A criança precisa aprender a ingerir boas fontes nutricionais, o que contribui para consumir alimentos de forma mais consciente”, explica o nutricionista e coordenador do curso de Nutrição da Faculdade Unime, Tarcisio Santana.

Ao ir ao supermercado, o nutricionista Tarcicio recomenda olhar os rótulos das embalagens, prática pouco comum porém essencial. “Muitas pessoas não têm o hábito de ler a embalagem dos produtos, mas esta prática é importante. A partir daí temos mais condições de avaliar o que vamos oferecer para as crianças”, orienta. 

Lancheira saudável

Para fazer uma lancheira saudável não precisa de muita teoria. Frutas, legumes e verduras da estação são excelentes opções pois possuem mais sabor e têm maior densidade nutricional do que aqueles cultivados fora de temporada. Esses alimentos costumam estar mais frescos, por serem colhidos no clima e ambiente adequados, e podem ser mais acessíveis economicamente.

Para compor uma lancheira saudável com o intuito de oferecer os principais micronutrientes para o desenvolvimento infantil, o nutricionista Tarcisio Santana sugere a composição de uma proteína acompanhada da tríade de um líquido, para reposição das perdas em atividades físicas, uma fruta e uma fonte de carboidrato, para fornecer energia.

“As melhores opções são sucos sem adição de açúcar, água de coco e chás. Além das frutas, que devem sempre ser bem higienizadas. A lancheira infantil também pode conter pães, iogurtes e bolachas, de preferência sem recheios. A dica é sempre manter a alimentação o mais natural possível. É muito importante oferecer itens frescos, vindos da natureza, eles oferecem as propriedades nutricionais adequadas para nossa saúde.”, reforça o nutricionista.

Segundo Tarcisio, a comida industrializada deve ser evitada já que contribui na aceleração de problemas de saúde, deve dar espaço para cereais, frutas e hortaliças. “Precisamos evitar alimentos industrializados, ao máximo. Os ultraprocessados têm quantidade excessiva de sódio e não fornecem nutrientes suficientes para o desenvolvimento saudável das crianças”, explica o profissional.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil