Covid-19: OMS minimiza risco de transmissão através de embalagens de alimentos

Agência Brasil e Redação

frango

A OMS (Organização Mundial da Saúde) minimizou, nesta quinta-feira (13), o risco da covid-19 ser transmitida por meio de embalagens de alimentos e pediu às pessoas que não tenham medo de que o vírus entre na cadeia alimentar.

Duas cidades da China disseram ter encontrado vestígios do vírus em alimentos congelados importados e em embalagens de alimentos, provocando o temor de que remessas de alimentos contaminados possam causar novos surtos.

“As pessoas não devem temer alimentos, embalagens de alimentos ou entrega de alimentos”, disse o chefe do Programa de Emergências da OMS, Mike Ryan, em entrevista coletiva. “Não há evidências de que a cadeia alimentar esteja participando da transmissão desse vírus.”

Maria Van Kerkhove, epidemiologista da OMS, disse que a China examinou milhares de embalagens e “descobriu que muito poucas, menos de dez”, tinham o vírus. Mais de 20,69 milhões de pessoas foram infectadas com o novo coronavírus e quase 750 mil morreram no mundo até agora.

Em nota, a ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal) afirmou que não está claro em que momento houve a eventual contaminação da embalagem.

“A ABPA reitera que não há evidências científicas de que a carne seja transmissora do vírus, conforme ressaltam a OMS (Organização Mundial da Saúde), a Organização das Nações Unidas para a FAO (Agricultura e a Alimentação), a OIE (Organização Mundial de Saúde Animal) e a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Ao mesmo tempo, o setor exportador brasileiro reafirma que todas as medidas para proteção dos trabalhadores e a garantia da inocuidade dos produtos foram adotadas e aprimoradas ao longo dos últimos meses, desde o início da pandemia global.”

Previous ArticleNext Article