ONU diz que 368 mil pessoas fugiram da Ucrânia após invasão russa

Número de ucranianos que deixam o país para fugir das tropas russas cresce a cada dia, de acordo com levantamentos da ONU.

Redação - Agência Brasil - 27 de fevereiro de 2022, 10:58

UNHCR/Chris Melzer
UNHCR/Chris Melzer

Pelo menos 368 mil ucranianos deixaram o país desde o início da invasão russa, de acordo balanço divulgado neste domingo (27) pela agência das Nações Unidas para os refugiados.

Filippo Grandi, Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados disse, usando sua conta no Twitter, que os números de pessoas que fogem das tropas russas estão em constante mudança. Uma nova atualização deverá ser emitida pelas Nações Unidas ainda hoje.

A estimativa no sábado era de que pelo menos 150 mil pessoas fugiram da Ucrânia para a Polônia e outros países, incluindo a Hungria e a Romênia. O governo da Polônia disse, no sábado, que mais de 100 mil ucranianos tinham atravessado a fronteira polaco-ucraniana só nas últimas 48 horas.

Ofensiva militar russa

A Rússia lançou na madrugada da última quinta-feira uma ofensiva militar na Ucrânia, com forças terrestres e bombardeio de alvos em várias cidades, que já provocaram pelo menos 198 mortos, incluindo civis, e mais de 1.100 feridos, em território ucraniano, segundo o governo ucraniano.

O presidente russo Vladimir Putin afirma que a "operação militar especial" na Ucrânia visa desmilitarizar o país vizinho e que era a única maneira de a Rússia se defender. O Kremlin acrescentou que a ofensiva durará o tempo necessário.

Na madrugada deste domingo (27), tropas russas se deslocaram para a segunda maior cidade da Ucrânia, Kharkiv, e iniciaram uma batalha nas suas ruas após uma noite de intensos combates. 

A invasão à Ucrânia foi condenada pela comunidade internacional e motivou reuniões de emergência de vários governos e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), União Europeia e Conselho de Segurança da ONU, tendo sido aprovadas sanções em massa contra a Rússia.