echo '' ; Geral - Página 6423 de 6448 - Paraná Portal

Primeio dia de frio intenso pode ter matado dois andarilhos no Paraná

A queda brusca nas temperaturas provocadas por uma massa de ar frio que atingiu o Paraná entre a noite de terça-feira (26) e esta quarta-feira (27) pode ter matado duas pessoas em situação de rua no Paraná, durante a madrugada de hoje.

Um dos casos suspeitos de hipotermia ocorreu em Cascavel, no oeste do Paraná. De acordo com o médico do Consórcio Intermunicipal de Saúde Oeste, o Consamu, existem fortes indícios de que a morte foi causada pelo frio, já que o homem não estava vestido de forma adequada para evitar a perda de calor e não apresentou sinais de agressão no corpo.

O caso aconteceu durante a madrugada, no bairro São Cristóvão. O homem foi encontrado dentro do quintal de uma empresa de construção, caído ao lado de uma máquina pá carregadeira. O Samu afirmou que já havia realizado outros atendimentos ao homem que seria morador de rua, segundo informações da Catve.

Ele estava com as calças abaixadas até o joelho, mas sem sinais de agressão, ainda segundo o Samu. De acordo com o instituto Simepar a mínima na cidade chegou aos 5ºC nesta quarta-feira (27). O Instituto Médico Legal recolheu o corpo e após necropsia será possível dizer se ele morreu de hipotermia, que é a queda da temperatura do corpo.

O outro caso, também de um homem em situação de rua, aconteceu em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. De acordo com a delegacia do município, o homem de aproximadamente 40 foi encontrado na Rodovia João Leopoldo Jacomel.

Ele estava em um gramado e as poucas roupas que ele vestia estavam molhadas pelo frio. Não há sinais de agressão. Ele não portava documentos e ainda não foi identificado. O corpo foi recolhido pelo Instituto Médico Legal de Curitiba.

Na capital, a mínima registrada foi de 6ºC. A previsão para os próximos dias é de geada e temperaturas ainda menores em todo o estado.

Começam a ser vendidos ingressos para a decisão na Arena

Apesar da ameaça de Mario Celso Petraglia de colocar os preços dos ingressos a R$ 150 (meia 75) para o primeiro jogo da decisão do Paranaense entre Atlético e Coritiba, na Arena da Baixada, começam a ser vendidos nesta quarta-feira (27), os ingressos a preços de R$ 100,00 (inteira) e R$ 50,00 (meia).

Os tíquetes começam a ser vendidos nesta quarta-feira (27), às 10 horas, na Arena, na Rua Buenos Aires. O clube divulgou ainda que os torcedores podem trocar 35 apostas da Timemania (equivalente a R$ 70) por um ingresso para o Atletiba. Já o setor VIP custa R$ 250.

Tocha olímpica chega a Atenas e é entregue hoje ao Rio

Depois de percorrer 32 cidades gregas desde o dia 21 deste mês, a tocha olímpica chegou ontem (26) à capital, Atenas. Às 18h de hoje (27), em cerimônia no Estádio Panathinaiko, a chama será entregue a representantes do Rio de Janeiro, sede dos Jogos Olímpicos deste ano.

No Estádio Panathinaikoda, foram abertos em 1896, os primeiros Jogos da Era Moderna. Após a entrega oficial, haverá um rápido revezamento dentro do estádio, seguido de apresentações culturais. Em seguida, o fogo olímpico será levado à Embaixada Brasileira em Atenas.

O ministro do Esporte, Ricardo Leyser, participará da cerimônia, ao lado dos presidentes do Comitê Organizador dos Jogos Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, e da Autoridade Pública Olímpica, Marcelo Pedroso. Também estarão presentes o presidente da Grécia, Prokopios Pavlopoulos, e o presidente do Comitê Olímpico Helênico, Spyros Capralos.

https://youtu.be/2Mc5fjK4k4Q

Depois de acesa em Olímpia, a chama passou por cidades como Alexandroupolis, Larissa e Marathonas até chegar à capital grega. Só no país berço dos Jogos, o fogo foi conduzido por 450 pessoas e percorreu 2.234 quilômetros. Depois de pernoitar na embaixada, o fogo passará pela Suíça, onde fica a sede do Comitê Olímpico Internacional, e será transportado até o Brasil – em um recipiente hermeticamente fechado usado para os deslocamentos de avião.

A chama começa a cruzar o país no dia 3 de maio, partindo de Brasília. Só na capital federal, o fogo olímpico vai percorrer 105 quilômetros e passará pelas mãos de 143 condutores. Em seguida, a tocha vai para a cidade de Corumbá de Goiás. No Brasil, a chama olímpica passará por mais de 300 cidades antes de chegar no Rio de Janeiro, em 4 de agosto.

Paraná

Durante sete dias, a chama olímpica percorrerá 22 cidades paranaenses e pernoitará em seis delas. O roteiro inclui Foz do Iguaçu, onde está um dos mais famosos atrativos naturais do mundo: as Cataratas do Iguaçu. A tocha também passará pela capital, Curitiba, com destaques como o Jardim Botânico, o Teatro Ópera de Arame e a Torre em forma de olho do Museu Oscar Niemeyer.

Ponta Grossa, que abriga o Parque Estadual de Vila Velha, também está no roteiro do símbolo dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. No parque, chamam atenção as gigantescas formações rochosas que mudam de cor conforme a hora e a incidência solar. Também faz parte do percurso da chama o município de Londrina, famoso por eventos como o Festival de Música e o Festival Internacional de Teatro. O visitante que vai a Londrina pode ainda apreciar o café local, já que a cidade é uma das nove que compõe a Rota do Café. Já em Cascavel, o ponto forte é o turismo de negócios e eventos.

Para ajudar na preservação e na exploração sustentável do turismo nos destinos paranaenses, o Ministério do Turismo apoiou nos últimos anos projetos que somam quase R$ 478 milhões. Entre essas obras financiadas destacam-se a construção do Centro de Eventos de Foz do Iguaçu e de sinalização turística em Curitiba.

Roteiro

Dia 28 de junho, a tocha chega ao Paraná com a primeira parada em Londrina, onde pernoitará. No dia seguinte, segue pelas cidades de Arapongas, Maringá, Campo Mourão antes de passar a noite em Cascavel. Dia 30, a comitiva do revezamento percorre Matelândia, Medianeira, São Miguel do Iguaçu, Santa Terezinha de Itaipu até chegar em Foz do Iguaçu. Em 2 de julho o percurso é retomado e cruza os municípios de Céu Azul, Santa Tereza do Oeste, Realeza, Francisco Beltrão e Pato Branco, para mais um pernoite.

Em 14 de julho, depois de passar pelo Rio Grande do Sul e Santa Catarina, a tocha volta ao Paraná, entrando por São José dos Pinhais. No mesmo dia segue para Curitiba, para a festa de celebração que se repetirá em todas as cidades de pernoite. Nos dias 15 e 16 é a vez dos municípios de Fazenda Rio Grande, Araucária, Campo Largo, Ponta Grossa (pernoite) e Castro.

A lista dos indicados pela Prefeitura de Curitiba

Adir Romeo – técnico da Seleção Brasileira de Ciclismo

Athos Schwantes – esgrimista

Bárbara Domingos – ginasta

Benedito Oliveira – técnico de Tênis De Mesa Paralímpico

Danilo Herek – cicloatividade

Henrique Rodrigues – nadador

Leônidas Dias – jornallista esportivo

Lucas Matheus – estudante da rede municipal e atleta

Marcelo Alves – ultramaratonista

Moisés Batista – atleta de rúgbi em cadeira de rodas

Nelson Bientinez Filho  – Ex-técnico e ex-atleta de futsal

Rafaela Raurich – nadodora

Richardson dos Santos – atleta paralímpico de bocha

Rivelino de Almeida – agente de trânsito

Rolando Ferreira – ex-jogador de basquete

Vicélia Florenzano – presidente da Federação Paranaense de Ginástica

Wanderléia Jentsch – coordenadora do Projeto Vor-Rúgbi

Polícia vai pedir a exumação dos dois sem-terra mortos no confronto com a PM

A Polícia Civil vai formalizar um pedido à Justiça de exumação dos corpos dos dois sem-terra mortos em um suposto confronto com policiais militares nas terras da empresa Araupel, em Quedas do Iguaçu, no oeste do Paraná, no dia 7 de abril.

A exumação dos corpos de Leonir Orback, de 25 anos, e Vilmar Bordin, 44 anos, deve servir para tirar dúvidas sobre as mortes. A defesa dos dois membros do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) afirma que uma das vítimas teria sido executada com um tiro. Na primeira análise, o laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontou que os dois foram mortos com apenas um tiro, um na região frontal e outro nas costas, sendo que em um dos corpos o perito encontrou apenas o orifício da entrada do disparo.

Segundo o delegado Adriano Chohfi, a partir de agora, o papel da Polícia Civil é buscar as provas com transparência. “Ninguém está duvidando do laudo médico. É uma segunda prova para que as dúvidas sejam esclarecidas já que o MST está suscitando este tipo de dúvida”, diz.

Um Inquérito Policial Militar (IPM) apura a conduta dos seis policiais militares que participaram do confronto. No local, a PM disparou 128 tiros. Quatro atingiram as vítimas levando duas à óbito e outros dois ficaram feridos.

Confronto

Versão da PM

Na versão da PM, duas equipes foram até o local, de dificil acesso, após terem sido acionados para apagar um incêndio. Eles estavam na companhia de funcionários da empresa e teriam sofrido uma emboscada.

“Assim que o fogo começou, os policiais da Rotam (Rondas Ostensivas Tático Móvel) e uma brigada de incêndio da empresa Araupel foram até o local para combater as chamas. Mas antes de chegar ao local da queimada, os policiais foram alvo de uma emboscada”, diz uma nota publicada ontem pela Secretaria de Segurança Pública. “Mais de 20 pessoas do MST estavam no local e começaram a disparar contra as equipes da PM, que reagiram ao ataque”.

Dois sem-terra foram presos e duas armas foram apreendidas pela PM.

Versão do MST

A coordenação estadual do MST afirma que não havia incêndio, e que os integrantes do movimento só foram até uma área de mata fechada para descobrir quem estava no local, quando foram atacados. Segundo o MST, a Polida Militar não costumava ir até a área, o que causou surpresa. “Saíram do mato já disparando”, disse Rudimar Moisés.

Quinze pessoas são presas durante operação em ferros-velhos e autopeças de Curitiba

Quinze pessoas foram presas na operação de fiscalização em auto-peças e ferros-velhos de Curitiba, realizada pela Polícia Civil, divulgada nesta quarta-feira (27). O objetivo é coibir a comercialização de peças de veículos de origem ilícita.

A Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV) da capital iniciou as investigações da operação “Voz do Povo” há cerca de um mês. Os policiais vistoriaram 87 lojas em Curitiba e Região Metropolitana, recuperando 29 veículos em situação de furto ou roubo e prendeu 15 pessoas envolvidas com desmanche ou comércio de peças de veículos.

“A ideia é fazer uma varredura em todos as autopeças e ferros-velhos para combater a comercialização de peças automotivas advindas do furto e roubo”, explica o delegado-titular da DFRV, Rogério Martins de Castro.

Foto: Divulgação/Polícia Civil
Foto: Divulgação/Polícia Civil

A operação “Voz do Povo” foi recebeu este nome porque as investigações iniciaram a partir de denúncias anônimas sobre o comércio de peças de carros. Todos os envolvidos vão responder  pelos crimes de receptação e adulteração de sinal de veículo automotor.

Acompanhe a discussão sobre o impeachment de Dilma no Senado

A comissão especial do impeachment no senado discute na manhã desta quarta-feira (27) a abertura do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff. Acompanhe:

https://youtu.be/uTEDjb6Noco

A comissão do impeachment no senado elegeu na manhã desta terça-feira (26) o senador Raimundo Lira (PMDB-PB) como presidente da comissão. Ele foi indicado pelo partido para presidir o colegiado uma vez que, por ser o partido de maior bancada na Casa, ficou para o PMDB a indicação do presidente do colegiado. O nome do senador da Paraíba foi aceito por consenso. Neste primeiro encontro também deve ser eleito o relator da comissão, o responsável por elaborar um parecer contra ou favorável ao processo de impeachment.

A polêmica de mais de duas horas ocorreu com a eleição do relator, senador Antônio Anastasia (PSDB-MG). A confirmação do nome do senador tucano, em votação simbólica, marcou a primeira grande derrota dos governistas na comissão, que conseguiram somar apenas cinco votos contrários.

PF apreende mais de U$ 8 mil escondidos em cueca no aeroporto de Foz

A Polícia Federal apreendeu (PF) U$ 8.700 com um passageiro chinês que desembarcava de um voo de São Paulo, no aeroporto de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, na madrugada desta quarta-feira (27).

Os policiais desconfiaram do homem, de 38 anos, que não carregava bagagem e tinha pressa para passar pela fila de desembarque. Ele foi levado para a sala da Polícia Federal, onde foi revistado e o dinheiro foi encontrado escondido na cueca.

O chinês afirmou aos policiais que estava levando o dinheiro a um cassino em Cidade D’ Leste, no Paraguai e que esta era a primeira vez em que iria agir desta forma. Ele está ilegalmente no Brasil e não teve a identidade divulgada pela PF.

O homem recebeu uma multa, tem três dias para deixar o Brasil e pode responder pelo crime de evasão de divisas. O dinheiro foi retido pela Receita Federal.

Cidades paranaenses entram em alerta para possível epidemia de zika

Pela primeira vez, cidades do Paraná declararam alerta para uma possível epidemia de zika. Colorado, no norte do estado, e Nova Prata do Iguaçu, região sudoeste, apresentaram 32 e 18 ocorrências, respectivamente. Os números representam uma taxa superior a 100 casos para cada grupo de 100 mil habitantes. O índice da Organização Mundial da Saúde (OMS) para que exista uma epidemia é de 300 casos para cada 100 mil pessoas.

O número de casos de zika em todo o Paraná aumentou, passando de 248 para 263. De acordo com o boletim, 169 são autóctones (contraídos dentro do estado). A chefe do Centro de Vigilância Ambiental da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), Ivana Belmonte, explica que o trabalho de monitoramento foi reforçado. “A epidemia de zika seria semelhante à epidemia de dengue porque as ações preventivas são as mesmas. O vetor que transmite a zika é o mesmo que transmite a dengue e a chikungunya. O que é feito em todo o estado, e não apenas nessas duas cidades, é um trabalho intensivo com relação ao cuidado com as gestantes por conta das complicações neurológicas do zika vírus e os problemas relacionados aos problemas congênitos”, explica.

O boletim divulgado nesta terça-feira (26) pela Sesa mostra que 25 gestantes foram diagnosticadas com zika desde agosto de 2015 no estado. A maioria dos casos é de Colorado, que registra 12 grávidas contaminadas pelo vírus. Maringá tem quatro casos de gestantes que tiveram zika. De acordo com a Secretaria, duas mães sofreram abortos espontâneos durante a gestação. Outros três bebês já nasceram e nenhuma má-formação foi constatada.

Dengue

Com relação à dengue, mais três municípios entraram na situação de epidemia – Maringá, Ivatuba e Mandaguaçu, na região noroeste, agora estão na lista, que totaliza 59 municípios. Apesar da diminuição das temperaturas no outono em algumas regiões, a proliferação segue alta em outras áreas do estado. “Essa mudança de temperatura acontece mais na região metropolitana de Curitiba e no sul do Paraná. O norte, oeste e o litoral não têm temperaturas tão frias quanto essas outras regiões. Então isso não afeta tanto a proliferação do mosquito [Aedes aegypti]. É importante observar que é preciso continuar com as alções de remoção de criadouros, porque mesmo que haja decréscimo no inverno, existe a possibilidade de a gente entrar em uma nova epidemia tão logo se inicie um período de chuvas e calor. O ovo do mosquito continua viável por até um ano e meio”, explica.

Das 399 cidades paranaenses, 301 tem pacientes contaminados pela dengue, o que representa mais de 75% do total. Ainda de acordo com a Sesa, 40 mortes pela doença já foram registradas no Paraná.

Os casos de chikungunya passaram de 50, na semana passada, para 56. Destes, apenas cinco são autóctones.

Quatro projetos tramitam no Senado em reação a planos de operadoras de limitar internet

Tramitam no Senado Federal quatro projetos que podem dar um fim à polêmica que tomou conta das redes sociais depois que as operadoras de internet anunciaram a intenção de cortar ou reduzir a velocidade de acesso após o fim da franquia de dados contratada.

Três desses projetos proíbem as operadoras de estabelecer franquias de dados em seus contratos; o outro, sem vedar as franquias, define regras para elas.

De autoria do senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), o Projeto de Decreto Legislativo (PDS) 14/2016 proíbe as franquias alterando uma resolução da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). O projeto susta o trecho da Resolução 614/2013 (inciso III do artigo 63), no qual as operadoras são autorizadas a impor franquias (quantidades máximas de dados) a serem consumidas e a cobrar mais pelo consumo excedente de dados ou a reduzir a velocidade de acesso.

O projeto será votado pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). Se aprovado, será examinado também pelo Plenário do Senado Federal e, depois, pela Câmara dos Deputados.

Na justificativa do projeto, Cássio Cunha Lima afirma que é necessário sustar os trechos da resolução da Anatel que permitem às operadoras de internet violar tanto o Marco Civil da Internet (Lei 12.965/2014) quanto o Código de Defesa do Consumidor (Lei 8.078/1990). Ele lembra que o Marco Civil estabelece, no artigo 7º, a “não suspensão da conexão à internet, salvo por débito diretamente decorrente de sua utilização” e a “manutenção da qualidade contratada da conexão à internet”. Além disso, ele menciona diversos dispositivos do código que visam proibir cláusulas contratuais abusivas e lesivas ao consumidor.

Marco Civil

Dois projetos de lei do Senado optam por inserir no Marco Civil da Internet a proibição das franquias. O PLS 174/2016, do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), e o PLS 176/2016, do senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), inserem o inciso XIV no artigo 7º da Lei 12.965/2014 para proibir, expressamente, as franquias de dados. Ambos tramitam na Comissão de Ciência, Tecnologia, Comunicação, Inovação e Informática (CCT) em caráter terminativo. Isso significa que, se aprovado, seguem direto para votação na Câmara dos Deputados, a não ser que se apresente recurso para votação em Plenário do Senado.

Na justificativa de seu projeto, Ricardo Ferraço destaca que diversos aspectos do exercício da cidadania dependem da internet, como ensino à distância, declaração do imposto de renda e pagamento de obrigações tributárias, de modo que, a seu ver, não seria razoável limitar o tráfego de dados na rede.

Por sua vez, o senador Eunício Oliveira observa que é dever do Poder Público defender os consumidores e garantir a concorrência, especialmente no mercado de serviços de acesso à Internet. No Brasil, lembra ele, 85% desse mercado são controlados por apenas três grupos empresariais.

Franquia restrita

Já o PLS 175/2016, do senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA), não proíbe as franquias, mas estabelece algumas regras para que sejam implementadas. Segundo o projeto, o tráfego de dados que exceder o limite contratado só poderá ser sobretaxado ou ter a velocidade reduzidas nos horários de pico na rede. A velocidade de acesso nunca poderá ser reduzida a menos do que 50% da velocidade máxima contratada.

Na justificativa do seu projeto, Flexa Ribeiro afirma que é necessário buscar o equilíbrio da demanda, estimulando o uso da internet em horários de menor tráfego. Isso, segundo ele, também reduz o custo da implantação de infraestrutura das redes, o que incentiva a expansão do serviço.

Sugestão Popular

Além do PDS 14/2016, foi apresentada no Senado, por meio do portal e-Cidadania, uma sugestão popular para proibir que as operadoras limitem o acesso à internet de quem exceder o limite. Tendo atingido 20 mil manifestações de apoio, a sugestão será encaminhada para análise da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), que poderá transformá-la em projeto de lei.

O debate sobre o assunto está mobilizando diversas comissões do Senado. Além da CCJ, que votará o PDS 14/2016 e da CDH, que analisará a sugestão popular, as comissões de Defesa do Consumidor (CMA), de Infraestrutura (CI) e de Ciência e Tecnologia (CCT) anunciaram que farão audiência conjunta sobre o tema.

Fonte: Agência Senado

Prefeito tem bens bloqueados por permitir rodeio sem autorização da Justiça

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) determinou que R$ 80 mil dos bens do prefeito de Itaipulândia, Miguel Bayerle, fossem bloqueados. Além dele, o MP-PR determinou que a procuradora jurídica e a secretária municipal de administração também fossem incluídas na ação.

A Promotoria de Justiça da Comarca de São Miguel do Iguaçu, que inclui Itaipulândia, ajuizou a ação pelo fato do gestor municipal, da secretária e da procuradora terem descumprido ordem judicial que determinava a proibição de um rodeio na cidade.  Os três foram intimados pouco antes do evento, mas mesmo assim não acataram a determinação da Justiça.

Além de solicitar liminarmente a indisponibilidade de bens dos agentes públicos, no mérito da ação, o MP-PR requer a condenação dos três ao ressarcimento integral do dano causado ao erário, no montante de R$ 80 mil, e às sanções previstas pela Lei de Improbidade Administrativa (8.429/92), o que pode levar à perda da função pública, suspensão dos direitos políticos e multa.

A liminar que proibiu a realização do rodeio atendeu ação da Promotoria de Justiça de São Miguel do Iguaçu, que buscava, com o cancelamento do evento, evitar a prática de maus-tratos contra animais. A liminar descumprida impunha multa diária de R$ 80 mil, caso o rodeio fosse efetivado.