Pediatra paranaense da linha de frente da OMS recebe a Medalha de Lucas

Pedro Ribeiro


O CRM-PR realizou no último domingo (18) a sua 35.ª solenidade alusiva ao Dia do Médico, a primeira de sua história totalmente virtual para atender às recomendações sanitárias de distanciamento. A transmissão foi pelo canal do Youtube e foi marcada pela homenagem aos médicos que faleceram vítimas da Covid-19, aos que completaram 50 anos de formados com histórico ético exemplar e ainda o reconhecimento do trabalho social e humanitário da pediatra curitibana Mariângela Batista Galvão Simão, que há 40 anos se dedica à saúde pública. Uma das mentoras do programa Mãe Curitibana e hoje a brasileira mais graduada e experiente em funções diretoras da Organização Mundial da Saúde, ela foi distinguida com a Medalha de Lucas – Tributo ao Mérito Médico, condecoração criada em 1996 e que até hoje tinha alcançado somente outras 16 personalidades.

A Dra. Mariângela, formada em 1980 pela UFPR, integrou o corpo diretivo do Programa das Nações Unidas para HIV e Aids (Unaids), na Suíça, onde até 2017 foi diretora do departamento de Prevenção, Direitos Humanos e Gênero, quando assumiu a função de diretora-geral assistente para Acesso a Medicamentos, Vacinas e Produtos Farmacêuticos na OMS. Neste período de pandemia, como relata, “está na coordenação de planejamento de mecanismos globais para assegurar alocação justa e acesso equitativo a vacinas e terapias que sejam comprovadamente seguras e eficazes contra o novo coronavírus”. A comenda enviada pelo meio postal foi entregue à médica pela Dra. Soumya Swaminathan, cientista-chefe da Organização Mundial da Saúde.

Neste ano de 2020, o Conselho de Medicina conferiu o Diploma de Mérito Ético-Profissional a 125 médicos pelo Jubileu de Ouro e que se constituem em exemplos à atividade. A distinção alcança muitos professores, pioneiros de cidades do interior e também de suas especialidades. Dentre eles estão a Darci Vieira da Silva Bonetto, ex-presidente da Sociedade de Pediatria; Avelino Ricardo Hass, da Academia Paranaense de Medicina; Alfredo Wallbach, da Sociedade de Radiologia; Antonio Carlos do Nascimento, pediatra pioneiro de Maringá; Arlindo Salvador, pediatra pioneiro em Umuarama; e Antonio Lúcio Duarte, oftalmologista pioneiro de Francisco Beltrão e que já tinha sido homenageado com a Medalha de Lucas, por seu trabalho social com as Apaes. Ao todo, 19 mulheres fazem parte do seleto grupo, atestando o quanto era restritivo o acesso delas à formação há meio século. Hoje as mulheres são maioria no ingresso às escolas médicas.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal