Projeto da Copa é reaproveitado no Contorno Norte

Narley Resende


Metro Jornal Curitiba

A Comec (Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba) apresentou à ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), uma proposta alternativa de traçado para finalmente desatar o nó da construção do Contorno Norte. O trecho em questão tem cerca de 11 km e liga a Rodovia da Uva até a BR 116, em Colombo.

O novo projeto resgata, em parte, o desenho feito em 2010 para o Corredor Metropolitano, que foi incluído e depois retirado do PAC da Copa do Mundo. Segundo a Comec, será utilizada uma faixa que havia sido reservada para o corredor e que, inclusive, faz parte do Plano Diretor de Colombo.

Segundo presidente da Comec, Omar Akel, o traçado foi feito em consenso com o governo, prefeitura de Colombo e o DER (Departamento de Estradas e Rodagen). “Foi muito importante a retomada da discussão para a solução deste problema, que se arrasta há muito tempo”, disse.

O projeto inicial do Contorno Norte é de 1978 e passou por várias adaptações. Em 2010 ele foi incluído no Lote 1 do Corredor Metropolitano, que deveria ter sido executado como obra do PAC da Copa mas foi cancelado logo no começo da gestão de Beto Richa (PSDB).

O governo alegou que a proposta, que havia sido orçada em R$ 157 milhões, custaria na verdade mais de R$ 500 milhões, levando em consideração os 3 lotes que somavam 136 quilômetros que ligaram o extremo norte, em Colombo, até Araucária, região Sul.

Em 2014 um novo traçado foi proposto pela Arteris, concessionária hoje responsável pela construção, mas acabou inviabilizado por exigências do Ibama.

A rota planejada pela Arteris seria mais ao norte, mas cortaria uma trecho de reserva legal pertencente à Embrapa Florestal, com pesquisas de mais de 30 anos.

Previous ArticleNext Article