Após onda de protestos, Guatemala suspende envio do orçamento aprovado para 2021

Sylvia Colombo - Folhapress

Embora seja um dos maiores orçamentos da história do país, a proposta reduz os gastos com saúde e educação

O Congresso da Guatemala decidiu, na madrugada desta segunda (23), suspender o envio ao Executivo do orçamento aprovado para 2021. O plano causou a onda de manifestações do último fim de semana.

O presidente do Congresso, Allan Rodríguez, acompanhado por um grupo de parlamentares, informou em um vídeo divulgado nas redes sociais que o Parlamento havia entrado “num acordo para suspender o trâmite de envio do orçamento para garantir a governabilidade e a estabilidade institucional do país”.

Embora seja um dos maiores orçamentos da história do país, a proposta de quase US$ 13 bilhões (R$ 70 bilhões) reduz os gastos com saúde e educação e aumenta os de construção e estímulos a empresas.

Rodríguez afirmou ainda que os ataques ao Congresso, no sábado (21), que causaram o incêndio de vários escritórios, foram “estrategicamente planejados para romper a ordem constitucional e conseguir tomar o poder, parte de um plano desestabilizador, como o que está sendo usado em outros países”.

Também chamou os ataques ao edifício de atos terroristas e disse que tanto ele como outros parlamentares receberam ameaças de morte. O líder do Congresso ainda defendeu o orçamento, justificando seu alto valor pelo fato de o país precisar de investimentos devido ao momento de crise.

De acordo com Rodríguez, haverá novas discussões parlamentares durante a semana para decidir se serão realizadas mudanças no orçamento ou não. Durante o fim de semana, milhares de manifestantes tomaram as ruas de cidades da Guatemala para protestar, de modo pacífico, contra a aprovação do plano orçamentário e para pedir a renúncia do presidente Alejandro Giammattei.

No entanto, na capital do país, um grupo de dezenas de encapuzados atacou o Congresso e invadiu o prédio com tochas, queimando e quebrando mobiliário do local. Segundo dados oficiais, 39 pessoas foram detidas e há 14 feridos.

Previous ArticleNext Article