Ricardo Salles e Ministério são alvos de busca e apreensão em operação da PF

Redação

PGR pede abertura de inquérito para investigar Salles

O ministro, Ricardo Salles, e o Ministério do Meio Ambiente, são alvos de busca e apreensão pela Operação Akuanduba, da PF (Polícia Federal), nesta quarta-feira (19).

A ação tem como objetivo apurar crimes corrupção, advocacia administrativa, prevaricação e facilitação de contrabando que teriam sido praticados por agentes públicos e empresários do ramo madeireiro. As informações são da Folha de São Paulo.

No total, serão cumpridos 35 mandados de busca e apreensão nos seguintes estados: Distrito Federal, Pará e São Paulo. As ordens judicias foram determinadas pelo STF (Supremo Tribunal Federal).

A decisão também suspende um despacho do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), de 2020, que permitia a exportação de produtos florestais sem a necessidade de emissão de autorizações.

Conforme a Folha, o despacho foi elaborado a pedido de empresas com cargas apreendidas no exterior. Com isso, resultou na regularização de, aproximadamente, 8 mil cargas de madeira ilegal.

O presidente do Ibama, Eduardo Bim, foi afastado do cargo. As investigações tiveram início em janeiro de 2020 após autoridades de outros países enviarem informações sobre um possível desvio de conduta de servidores durante o processo de exportação de madeira.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="764980" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]